Onze a zero. É esse o placar esperado pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), na votação sobre a descriminalização do aborto em casos de anencefalia.

"Um placar acachapante", disse o relator do caso, referindo-se a posição dos 11 ministros da Corte. Médicos obstetras e especialistas em genética e medicina fetal asseguraram no STF que bebês com anencefalia não têm nenhuma chance de sobreviver. "(A anencefalia é) Letal em 100% dos casos quando o diagnóstico é correto", afirmou o médico e deputado federal José Aristodemo Pinotti durante audiência pública promovida hoje no STF para discutir a liberação da interrupção de gestações de fetos com anencefalia.

Além das chances nulas de sobrevivência, os especialistas disseram que a manutenção das gestações coloca em risco a saúde e a vida das mães que estão gerando um feto com a anomalia. Na audiência, foram divulgadas fotos impactantes de bebês com anencefalia. A audiência servirá de base para o julgamento de uma ação na qual a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS) pede que sejam liberados os procedimentos. O julgamento está previsto para ocorrer até o final deste semestre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.