STF devolve cargo de promotor a acusado de homicídio

BRASÍLIA ¿ Em decisão do ministro Carlos Alberto Menezes Direito, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi concedida uma liminar devolvendo a vitaliciedade ao promotor Thales Ferri Schoedl, contrariando decisão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que havia decidido pela retirada do direito, além de exonerá-lo do cargo.

Redação |

Acordo Ortográfico

Em sua defesa, Schoedl alegou que sua vitaliciedade foi reconhecida pelo Ministério Público e que apenas uma decisão judicial poderia decretar o contrário. Ele ainda diz que o CNMP não pode rever essa determinação.

O ministro Menezes acatou o pedido do promotor acreditando ser razoável sua tese. Mesmo conseguindo tornar-se vitalício novamente, Schoedl não poderá manter o exercício do cargo.

Thales Ferri Schoedl é acusado de ter atirado contra dois jovens, ambos de 20 anos, na cidade de Bertioga, litoral de São Paulo, em dezembro de 2004. 

O estudante Diego Mendes Modanez acabou morto e Felipe Siqueira Cunha e Souza ficou gravemente ferido. Schoedl alega ter agido em legítima defesa pois um grupo de pessoas mexiam com sua namorada e o ameaçavam.

Leia mais sobre: processos

    Leia tudo sobre: homicídioprocessopromotor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG