STF arquiva inquérito contra o senador Romero Jucá, acusado de fraude

BRASÍLIA - Foi publicada nesta segunda-feira, no Diário da Justiça, do Supremo Tribunal Federal, decisão do ministro Cezar Peluso que arquiva o inquérito contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR), acusado de fraude envolvendo a empresa Frangonorte. O fim do processo foi solicitado pelo Ministério Público Federal, em razão da prescrição do crime.

Redação |

Considerando a data dos crimes e o prazo de prescrição estabelecido no Código Penal, o procurador-geral da República requereu o arquivamento do inquérito. O ministro ressaltou que, ao contrário do que foi noticiado pela imprensa, a iniciativa pelo arquivamento da ação cabe à PGR, titular exclusivo da ação penal, e não ao relator.

O caso

O inquérito foi instaurado para apurar suposta prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. De acordo com o Ministério Público Federal, o senador, como sócio da empresa Frangonorte, teria em dezembro de 1995 utilizado parcela de empréstimo obtido em instituição financeira oficial em finalidade diversa da prevista em contrato.

Em junho de 1996, Jucá teria participado de fraude para obter nova parcela do empréstimo, apresentando como garantia imóveis inexistentes.

Como o procurador-geral da República é o titular exclusivo dessa ação penal, e a última instância do Ministério Público Federal, cabe somente a ele pedir o arquivamento do inquérito. O que aconteceu nesse caso, já que reconheceu estar prescrito o crime imputado ao senador.

Leia mais sobre: Romero Jucá

    Leia tudo sobre: romero jucaromero jucá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG