SÃO PAULO - O Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou nesta quinta-feira a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra o deputado federal Celso Russomanno (PP-SP). O MP o acusa de desvio de recursos públicos por ter nomeado Sandra de Jesus como sua secretária na Câmara, entre 1997 e 2001, mas supostamente mantê-la como gerente de sua produtora, a Night and Day Promoções Ltda.

Segundo o MP, o parlamentar alegou que dispensou Sandra em meados de 1997 por conta de problemas financeiros na empresa, mas, por ser excelente profissional, decidiu nomeá-la para o cargo de secretária. Afirmou, ainda, que seu escritório político e a produtora funcionavam no mesmo lugar, o que teria provocado a confusão.

O vice-procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel, disse que cinco testemunhas confirmaram que Sandra sempre executou os mesmos serviços relacionados aos negócios privados de Russomanno, trabalhando durante todo o período na mesma sala, em imóvel situado nos fundos do escritório político, mesmo depois que ele tomou posse como deputado.

Leia mais sobre: Celso Russomano

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.