Stephanes não deve mudar índice de produtividade

Pressionado pelo seu partido, o PMDB, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, não deve assinar a portaria com a alteração do índice de produtividade para fins da reforma agrária, como já fez seu colega do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel. Hoje, parlamentares do partido convidaram o ministro a debater o tema no auditório da TV Câmara e recomendaram, ao fim do encontro, que Stephanes não rubricasse o documento.

Agência Estado |

"O partido entende que não é o melhor momento para assinar", comentou o ministro a jornalistas após o encontro. Para os deputados presentes, com a crise no crédito e a dificuldade com as exportações, este não seria o período ideal para debater o tema, que, segundo eles, vem sendo tratado de forma política pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Deputados do PMDB, ressaltou o ministro, salientaram que é preciso refletir melhor sobre o tema e analisar outros critérios para elaboração do novo índice - o atual, entrou em vigor há aproximadamente 30 anos. "O ministro deve levar a posição ao presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) respaldado pelo partido e é o que eu vou fazer", disse ele. Sem saber em que ocasião encontrará com Lula, Stephanes disse que levará sua posição ao presidente "na primeira oportunidade".

O ministro relatou que não houve uma determinação expressa de Lula, durante um encontro prévio, para que o novo índice fosse aprovado. "O presidente apenas me informou que, numa reunião com líderes, o novo índice foi aprovado e solicitou que eu buscasse um entendimento com Cassel", relatou. Caso o presidente houvesse feito uma determinação para este fim, segundo ele, haveria duas saídas: aprovar ou deixar o cargo. Questionado sobre se haveria hipótese de abandonar a pasta por conta do assunto, Stephanes limitou-se a dizer: "Isso não está em discussão". O ministro reforçou ainda que a decisão final cabe ao presidente, que é quem foi eleito para o cargo.

O líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), informou há pouco que encaminhará ainda hoje a posição do partido contra a aprovação do novo índice de produtividade para o setor agrícola destinado à reforma agrária. A comunicação, de acordo com ele, será por meio do ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro. Alves fez estas afirmações a jornalistas após participar de debate na Câmara dos Deputados com parlamentares da bancada e com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

"A nossa recomendação para o ministro é a de que ele não assine a portaria", relatou. O documento já foi assinado pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, que, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no último dia 18, disse que os novos índices seriam publicados pelo governo em 15 dias.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG