Stephanes diz ser provável mudança na mistura de álcool

SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro deverá reduzir temporariamente a mistura de álcool na gasolina, atualmente em 25 por cento, em meio à oferta reduzida do biocombustível no mercado no período da entressafra, disse o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, nesta quinta-feira. De maneira preventiva é provável que se adote uma alteração na mistura por determinado período. Uma decisão será tomada segunda-feira, afirmou o ministro a jornalistas em Brasília.

Reuters |

Os preços do etanol subiram substancialmente nas últimas semanas em boa parte do país, já que a oferta do produto está caindo com o fim do processamento da safra.

O movimento prejudica os donos de veículos flex, que em muitos Estados já estão trocando o etanol pela gasolina.

Além disso, muitas usinas elevaram a produção de açúcar em detrimento da produção de etanol durante o ano passado, já que os valores do alimento estão nos maiores níveis dos últimos 29 anos no mercado internacional.

"Num determinado momento o preço (do etanol) estava abaixo do que seria bom para produtor e consumidor, nesse momento está acima desse equilíbrio. De qualquer maneira, temos que respeitar o consumidor que já compra com um determinado nível de preço, temos que trabalhar no sentido de que se tenha valor de equilíbrio", disse Stephanes.

"É possível que então segunda-feira alguma medida será adotada", acrescentou.

A eventual redução na mistura, no entanto, deve significar pouco em termos de aumento da oferta de etanol hidratado, o tipo utilizado nos carros flex.

(Reportagem de Marcelo Teixeira)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG