Zona leste de São Paulo sai do estado de atenção

O mês de janeiro ainda não acabou, mas ja é o mais chuvoso da história da cidade de São Paulo, segundo o Inmet

iG São Paulo |

A chuva que atingiu a região metropolitana de São Paulo nesta quarta-feira deixou a zona leste da capital paulista em estado de atenção por 1 hora, das 16h25 às 17h25, informou o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura. Não foram registrados pontos de alagamento.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 17h50, a cidade tinha 55 quilômetros de lentidão, índice dentro da média para o horário. Os pontos de maior lentidão estão na Marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, pista expressa, da ponte Casa Verde até a rua Azurita (3,8 km); na avenida do Estado, sentido Ipiranga, da avenida Tiradentes até o viaduto Trinta e Um de Março (3,3 Km); no Corredor Rebouças/Eusébio, sentido bairro, da avenida Doutor Arnaldo até a avenida Pedroso de Morais (3 Km); na Marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, pista central, da ponte Julio de Mesquita Neto até a ponte da Casa Verde (2,5 km).

Segundo o CGE, as áreas de chuva que atingiram o extremo leste e parte da zona sul de São Paulo perderam intensidade. De acordo com imagens de radar, não há registro de precipitação em toda a Grande São Paulo.

Segundo os meteorologistas do CGE, áreas de instabilidade formadas no interior ainda podem se deslocar em direção à faixa leste do Estado, local onde se encontra a capital, provocando novas pancadas de chuva.

Nos próximos dias as condições atmosféricas não mudam muito. Os temporais típicos de verão acontecem a partir das tardes em função do calor e da umidade. As temperaturas permanecem elevadas e oscilam entre mínimas de 21,0ºC e máximas de 31,0ºC. Nessas condições, as chuvas fortes vêm acompanhadas de trovoadas, descargas elétricas e eventualmente queda de granizo.

Janeiro chuvoso

O mês de janeiro ainda não acabou, mas ja é o mais chuvoso da história da cidade de São Paulo . Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), até o fim da terça-feira, a estação de medição localizada no mirante de Santana, na zona norte da capital, contabilizou 493,7 mm de chuva, o maior índice desde 1943, quando começaram as medições.

O recorde anterior era o de 1947, quando a cidade teve 481,4 mm. Este ano o acumulado de chuva é, inclusive, maior também que o de 2010, tido como um dos anos mais chuvosos da cidade, que, durante todo o mês de janeiro, não teve chuva em apenas dois dias. Com 480,5 mm, o índice de 2010 ultrapassou em 100% o previsto para o mês.

    Leia tudo sobre: chuvaestado de atençãoverão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG