Verão teve janeiro frio e fevereiro muito quente

A cidade de São Paulo bateu recordes históricos de temperaturas máximas e mínimas; em março, foi registrado 34,3°C e em janeiro, 14,5°C

iG São Paulo |

Futura Press
Casal toma sol no Parque do Ibirapuera no dia 1° de março, o mais quente do ano
O verão, que terminou na madrugada desta terça-feira, foi uma estação de extremos no Estado de São Paulo. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o mês de janeiro foi mais chuvoso e frio do que o normal, devido a maior incidência de frentes frias, enquanto fevereiro teve dias mais quentes e secos.

Veja a previsão de tempo para São Paulo

A capital paulista quebrou recordes históricos de temperaturas máximas e de mínimas. No dia 1° de março foi registrada a temperatura mais alta, para o mês, desde 1943, com os termômetros marcando 34,3°C . No dia 30 de janeiro, a cidade registrou a temperatura mínima de 14,5°C , a menor desde 1985.

Esse foi o mesmo comportamento dos outros Estados da região Sudeste, ou seja, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Neste último dia de verão, a temperatura máxima na cidade de São Paulo foi de 28ºC, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). A umidade relativa ficou em torno dos 40% na Grande São Paulo, por volta das 18h.

Outras regiões

O verão também foi uma estação de extremos em outras regiões do Brasil, de acordo com o Inmet. No Sul do País, janeiro teve predomínio do tempo seco, inclusive com estiagem. As primeiras chuvas ocorreram apenas em fevereiro.

No centro-norte, janeiro foi o mês mais chuvoso, enquanto fevereiro e março tiveram temperaturas mais altas e clima mais úmido.

    Leia tudo sobre: verãoestaçãosão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG