Umidade sobe e São Paulo deixa o estado de atenção

Umidade relativa chegou a ficar em cerca de 20%, mas no fim da tarde já estava em quase 50%

iG São Paulo |

A cidade de São Paulo deixou o estado de atenção às 16h30, pois a umidade relativa do ar já está acima de 30%. A estação automática do Mirante de Santana do INMET registra 47,0% por volta da 17h. No início da tarde, o índice de umidade do ar estava em cerca de 20%, segundo Secretaria Municipal de Segurança Urbana

Na sexta-feira, a capital paulista registrou o 2º dia mais seco desde quando começou a ser realizada a medição por uma estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) localizada no Mirante de Santana, na zona norte da cidade.  A prefeitura da cidade estuda ampliar restrição a veículos por conta do tempo seco .

A recomendação, segundo a Secretaria, é que a população evite atividades ao ar livre e exposição ao sol entre as 10h e 17h e não pratique exercícios entre as 11h e 15h. É aconselhável a ingestão de bastante líquido para não ter problemas de desidratação.

A Defesa Civil alerta ainda às pessoas para que não coloquem fogo em terrenos baldios e vegetação seca, pois a baixa umidade relativa do ar pode aumentar as chances de incêndio nas pastagens e florestas. Além de destruir a fauna e a flora o fogo provoca o empobrecimento do solo e pode propagar-se em direção a indústrias, estabelecimentos comerciais e centros urbanos.

WERTHER SANTANA/AE
São Paulo amanhece sob névoa de poluição neste sábado

Nos meses em que ocorrem poucas chuvas é comum que a umidade do ar fique reduzida, o que causa um aumento nos níveis de dióxido de enxofre e material particulado, devido às piores condições de dispersão. Isso propicia o surgimento ou agravamento de doenças respiratórias, cardiovasculares e oculares.

Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), as estações que têm qualidade ruim do ar neste sábado são: Ibirapuera, USP, Moóca e Santo André. O cálculo é feito a partir da medição da quantidade de dióxido de enxofre, partículas inaláveis, fumaça, monóxido de carbono, ozônio e dióxido de nitrogênio no ar.

Sintomas causados pelo tempo seco

Alguns dos sintomas são: dores de cabeça e irritação nos olhos, nariz, garganta ou na pele; garganta seca, voz rouca, inclusive com possibilidade de inflamação da faringe; rompimento de vasos do nariz, provocando sangramento. Neste período também aumentam a chances de se contrair conjuntivite viral, alérgica, síndrome do olho seco e infartos, principalmente em quem já tem problemas cardiovasculares.

A recomendação da Defesa Civil é que a população evite atividades ao ar livre e exposição ao sol entre as 10h e 17h e não pratique exercícios entre as 11h e 15h.

    Leia tudo sobre: ar secoestado de atenção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG