Três em 10 cachorros-quentes vendidos em SP são contaminados

Pesquisa encontrou bactérias que causam diarréia. Saiba como evitar os riscos

Fernanda Aranda, iG São Paulo |

AFP
Cachorros-quentes vendidos nas ruas de São Paulo apresentam bactérias que causam diarreias
A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), em parceria com o Centro de Vigilância Municipal de São Paulo (Covisa), saiu às ruas para avaliar a qualidade dos cachorros-quentes vendidos em barraquinhas paulistanas.

O resultado das 30 amostras colhidas aleatoriamente e avaliadas em laboratório foi alarmante, segundo classificação dos autores da pesquisa. Em meio ao pão com salsicha e recheios, as análises mostraram um índice de contaminação de 26,6%, quase três em cada 10 avaliados.

Segundo os dados divulgados, as bactérias encontradas em excesso (coliformes fecais, Escherichia coli, Estafilococos coagulase positiva, Clostrídio sulfito redutor) podem causar diarréia, vômitos e dores abdominais. Pesquisas anteriores já demonstraram que elas proliferam com a falta de higiene e falhas no armazenamento da comida.

Os vendedores de rua de cachorro-quente são os únicos que têm autorização municipal para atuar e os registrados devem exibir o certificado. Eles são encontrados em centros comerciais e também próximos às casas noturnas, principalmente. Para evitar os riscos, a Proteste orienta ficar atento a alguns comportamentos do vendedor. Veja abaixo.

As dicas :
- O atendente não pode manipular alimentos e dinheiro ao mesmo tempo
- Os molhos e condimentos (como catchup e maionese) devem ser oferecidos em sachê ou em embalagens fechadas e etiquetadas, mantidas sob refrigeração
- Não devem existir caixas de madeira ou de papelão na área de manipulação dos alimentos

O atendente deve:
-Ter as unhas curtas e limpas, a barba feita ou aparada e não pode tossir, espirrar ou falar em cima dos alimentos
- Usar luvas e troca-las após trocar de função (como preparar o cachorro-quente e pegar uma lata de bebida logo em seguida)
- Usar de toalha de papel, no lugar de pano de prato para secar utensílios
- Armazenar a salsicha em alta temperatura (acima de 65ºC) e não em temperatura ambiente
- Manter refrigerados acompanhamentos como milho, ervilha, queijo ralado, purê de batata e molho vinagrete
- Utilizar uma lixeira de acionamento por pedal e com tampa
- Manipular os alimentos usando touca, para evitar que cabelos caiam nos alimentos

    Leia tudo sobre: cachorro-quentebactéria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG