Três adolescentes são mortos em chacina no Guarujá

Polícia acredita que o crime está relacionado ao tráfico de drogas e não tem ligação com a série de ataques registrados na cidade

AE |

selo

A Baixada Santista voltou a viver mais uma noite violenta ontem. Desta vez, dois adolescentes de 16 anos e um rapaz de 18 foram mortos com vários tiros no distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá. Dois homens, de 29 e 52 anos, também foram alvejados, mas passam bem e vêm sendo considerados testemunhas importantes para desvendar o triplo homicídio.

Segundo relato dos moradores da Rua Santo Amaro, localizada no Sítio Conceiçãozinha, uma favela que fica próxima da Rodovia Domenico Rangoni, um Fiat escuro parou repentinamente na porta de uma oficina e seus ocupantes, sem nenhuma preocupação em esconder o rosto, saíram atirando. Os dois adolescentes foram mortos no local, enquanto o rapaz de 18 anos chegou a ser socorrido por um vizinho, mas não resistiu aos ferimentos. Tudo isso aconteceu por volta das 18h30, quando muita gente passava pelo local.

A prima de um dos adolescentes, que não quis se identificar, mostrou-se revoltada com a ousadia dos assassinos. "Eles não respeitaram os três jovens, que acabavam de retornar do trabalho e já se preparavam para ir à escola, porque também eram estudantes", informou. O pai de Felipe Santana, o rapaz de 18 anos, estava chocado com a ocorrência. "Nem sei o que pensar. Não desejo isso para nenhuma família", afirmou Edmar Santana Farias.

De acordo com as primeiras investigações da Polícia Civil, os tiros foram disparados por pistolas de 45 e 9 milímetros, armas que são de uso privativo das Forças Armadas. Segundo informou o delegado Josias Teixeira de Souza, do 2º Distrito Policial do Guarujá, que está conduzindo o inquérito, os crimes de ontem não têm vinculação com a série de ataques registrados no último dia 10, quando o técnico de enfermagem Paulo Roberto Barnabé, de 34 anos, foi morto com um tiro no peito, em Santos. Na mesma madrugada houve ataques semelhantes, com o mesmo carro preto, em outros bairros da cidade e em São Vicente.

"Estamos recolhendo as provas periciais, o depoimento das vítimas baleadas e também de outras testemunhas, a fim de elucidar este crime", revelou o delegado, descartando ainda a relação dessas mortes com o assassinato do policial militar Paulo Rafael, ocorrido no dia 18 de abril do ano passado, também em Vicente de Carvalho. "Acredito que foi mera coincidência", argumentou.

    Leia tudo sobre: chacinaguarujá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG