Trabalhadores do Ceagesp protestam e bloqueiam avenida em SP

Caminhoneiros são contra a cobrança de uma taxa para permanência dos veículos no pátio do local; trânsito é complicado na região da av. Doutor Gastão Vidigal

iG São Paulo |

Cerca de 400 comerciantes que atuam na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na Vila Leopoldina, zona oeste da capital paulista, realizam desde a madrugada, por volta das 3h, uma manifestação contra a terceirização do controle das áreas de carga e descarga da estatal. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os manifestantes bloqueiam um dos sentidos da av. Doutor Gastão Vidigal, localizada em frente ao local.

Acompanhe o trânsito em São Paulo

MARIO ÂNGELO/SIGMAPRESS/AE
Avenida da zona oeste de São Paulo chegou a ser bloqueada para uma passeata da categoria

O protesto é organizado pela Associação dos Permissionários do Entreposto de São Paulo (Apesp). Segundo o presidente da Apesp, Carlos Eduardo Haiek, os comerciantes não são contra as melhorias no sistema de controle de circulação de mercadorias e veículos dentro da Ceagesp, mas alegam que além de não terem sido comunicados nem consultados a respeito do edital de licitação, já arrecadam um total de R$ 600 mil mensais que poderiam ser investidos nestas melhorias.

Além disso, segundo Haiek, o objetivo da empresa que irá controlar as áreas de carga e descarga é principalmente o lucro. Os permissionários afirmam que só voltam a comercializar seus produtos nesta quarta-feira dentro da Ceagesp depois que forem atendidos pela direção da estatal e com ela iniciarem uma negociação.

HÉLIO TORCHI/AE/AE
Comerciantes iniciaram protestos nesta madrugada no Ceagesp, em São Paulo
Por volta das 6h, um oficial de justiça entregou aos representantes da Apesp uma ordem judicial da 1ª Vara Cível que proíbe os permissionários de realizarem manifestação e de impedirem a livre circulação de veículos e pedestres dentro da área da Ceagesp. Outra determinação da Justiça contida no documento é de que os manifestantes também não podem impedir os comerciantes que queiram vender seus produtos de assim fazê-lo. A multa em caso de descumprimento é de R$ 10 mil por dia.

Durante o protesto, os manifestantes chegaram a bloquear totalmente a av. Doutor Gastão Vidigal. Às 7h50, um dos sentidos, o Pinheiros, havia sido liberado. O órgão de trânsito pede para que o motorista evite a região, que já enfrenta 3 km de congestionamento - entre a av. Eng. Roberto Zuccolo e a praça Apecatu. A alternativa, sentido Marginal Tietê, é seguir pela rua Aruaba, av. Imperatiz Leopoldina, av. Queiroz Filho e praça Apecatu.

Trânsito na capital

A quarta-feira começou complicada para o motorista paulistano. Por volta das 7h, o fluxo de veículos na capital já era visivelmente maior e o índice de congestionamento comprovam a lentidão acima da média na cidade. Às 8h, São Paulo registrava 101 km de filas nas vias, de acordo com a CET.

No momento, a pior via de São Paulo é a Marginal Pinheiros, sentido Interlagos, com cerca de 15 km de filas em pelo menos três pontos. O trecho que apresenta as pres condições de tráfego está localizado entre o acesso da rodovia Castello Branco e a ponte Eusébio Matoso.

A Marginal Tietê é classificada como a segunda pior via nesta manhã. As vias expressa, local e central, no sentido Castello Branco, já acumulam pelo menos 14 km de filas. O pior trecho está localizado entre a ponte do Piqueri e o acesso da Castello.

*com AE

    Leia tudo sobre: protestoceagesptrânsitomanifestações

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG