Temporal em São Paulo causa 73% a mais de raios

O normal para dias de chuva forte é de menos de mil raios. No temporal de domingo, cidade teve registro de 1.736

AE |

selo

A chuva forte que durou apenas duas horas na noite de domingo fez o paulistano começar mal a semana. Três pessoas morreram arrastadas pela enxurrada, duas na zona leste e uma na norte. Um fator curioso (e assustador) chamou a atenção das pessoas: a quantidade de raios que caíram com a chuva. Foram exatos 1.736, quando a média, mesmo para dias de chuva forte, não ultrapassa mil. Ou seja, 73% acima do normal.

"Não é algo comum. Mesmo no verão, não vemos mais que duas, três vezes a incidência de mil raios em um só dia", explica o pesquisador e coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Elat/Inpe), Osmar Pinto Junior.

Uma das hipóteses levantadas pelo pesquisador é de que o número anormal seja resultado da urbanização e da poluição da metrópole. "Esses fatores aumentam a temperatura local e injetam na atmosfera partículas que favorecem formação de gelo nas nuvens. É o que tende a produzir cada vez mais raios", afirma.

Os corpos das três pessoas que morreram por causa das chuvas foram resgatados na madrugada e na manhã de segunda-feira pelo Corpo de Bombeiros. Por volta da 1h30, policiais militares foram acionados para retirar o corpo de uma vítima de afogamento na Rua da Mooca, na zona leste. A segunda vítima foi localizada pela polícia cerca de meia hora depois na Rua Aiamá, na Penha, também na zona leste. Na zona norte, um terceiro homem foi encontrado na Avenida Tenente Amaro Felicíssimo da Silveira, no Parque Novo Mundo.

Com essas mortes, sobe para nove o número de mortos em decorrência da chuva na capital desde 1.º de dezembro, segundo a Defesa Civil Estadual. No Estado, os mortos já são 28. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: temporalchuvaraiossão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG