Suspeito de matar dois na Oscar Freire era hóspede de vítima, diz polícia

O assassino usou duas facas de cozinha para matar Eugênio Bozola e Murilo Rezende da Silva, mas antes teria dopado os dois

Fernanda Simas, iG São Paulo |

Polícia/Divulgação
Foto de Lucas Cintra Zanetti Rosseti, suspeito de cometer o duplo homicídio
O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo identificou o homem suspeito de matar o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende da Silva, de 21 anos. Eles foram encontrados mortos por uma faxineira na manhã de terça-feira (23) no apartamento de Bozola na Rua Oscar Freire , em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. A prisão temporária do suspeito já foi solicitada à Justiça.

Segundo a polícia, o suspeito é Lucas Cintra Zanette Rosseti, de 21 anos, que estava hospedado na casa de Buzola desde o Dia dos Pais (14 de agosto). Ele deveria retornar para Igarapava, cidade a 450 quilômetros de São Paulo, onde morava, na última terça-feira.

O delegado Mauro Dias, titular da equipe responsável pela investigação do caso, diz que Bozola e Rosseti tiveram um affair. “Eugênio prometeu a Lucas trazê-lo para São Paulo e mostrar a capital. Acreditamos que Lucas ficou deslumbrado com a cidade e não queria retornar para sua cidade.“

Dias acredita que Rosseti agiu sozinho e que o crime não foi premeditado. "Ele se desfez das próprias roupas que estavam sujas de sangue e fugiu levando um computador, celulares, máquina fotográfica que continha imagens dele com Eugênio em São Paulo, além do carro". Ele não tem antecedentes criminais e sua imagem foi divulgada nesta quinta-feira pelo DHPP.

Além disso, Dias ressalta que as vítimas devem ter sido dopadas porque aparentemente Rosseti era o mais fraco dos três e não conseguiria matá-los sozinho a facadas. A polícia apreendeu no apartamento remédios de tarja preta revirados.

O assassino usou duas facas de cozinha e desferiu vários golpes nos pescoços e cabeças das vítimas. "Murilo deve ter sido o primeiro a ser esfaqueado porque era o mais forte. A cena do crime parecia um filme de terror. Em várias paredes da casa tinha a inscrição CV (Comando Vermelho) mas não há alusão à facção criminosa. Ele só quis desviar a atenção da polícia", afirma o delegado.

A polícia não sabe como Bozola e Rosseti se conheceram, mas conta que no Dia dos Pais o analista de sistemas foi até Igarapava para levar de volta outro rapaz que esteve hospedado em sua casa e então trouxe Rosseti para São Paulo. O suspeito foi reconhecido por esse outro rapaz, outras testemunhas e em imagens de segurança de uma casa noturna e de uma pizzaria, locais em que esteve no último fim de semana, acompanhando de Eugênio.

Futura Press
O corpo do modelo Murilo Mendes foi enterrado na tarde desta quinta-feira em rodeiro, Zona da Mata de Minas Gerais

"Na pizzaria, ele [Rosseti] inclusive comentou que estava comemorando o aniversário com amigos diferentes", afirma o delegado Dias, explicando que o suspeito fez aniversário no dia em que cometeu o crime, segunda-feira (22).

Antes de fugir do apartamento, Rosseti tentou se livrar de possíveis provas que o incriminassem. "Ele tentou queimar as roupas que usava, mas como o cheiro começou a chamar a atenção de vizinhos, ele colocou tudo na máquina de lavar", detalha Dias. A polícia encontrou, dentro da máquina de lavar roupas, uma calça e uma camisa parcialmente queimadas e uma toalha ensanguentada.

Desentemdimento

De acordo com a polícia, o modelo Murilo Rezende da Silva, que morava há quatro meses no apartamento junto com Bozola, reclamava do fato de Rosseti estar hospedado no local. "Segundo uma testemunha, ele [Silva] teria dito para o Eugênio que o Lucas havia roubado um frasco de perfume", conta Dias.

Carro rastreado

O carro de Bozola, um Honda Civic de placa EBK 8356, possui o dispositivo Sem Parar (utilizado para pagamento automático de pedágios em rodovias). Pelo rastreamento da polícia, Rosseti fugiu logo depois do crime com o veículo e o primeiro pedágio registrado foi na Rodovia Anhanguera, na madrugada do dia 23. O mais recente foi no início da manhã do dia 23 em São Simão, região de Ribeirão Preto (SP). “Ele pode estar na região de Igarapava porque tem muito canavial e é fácil para se esconder”, diz o delegado.

    Leia tudo sobre: duplo homicídiooscar freirecrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG