Suspeita de integrar milícia investigada por juíza assassinada no Rio é presa

Policiais de São Vicente, litoral de São Paulo, tinham um mandado expedido pela juíza Patrícia Acioli desde junho

iG Sâo Paulo |

Uma vigilante de 35 anos que era procurada pela Justiça do Rio de Janeiro por possível envolvimento com a milícia investigada pela juíza Patrícia Acioli, assassinada com vários tiros em agosto deste ano, em Piratininga, no município de Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, foi presa nesta terça-feira dentro de casa, por volta das 11h30, na rua Alagoas, jardim Rio Branco, em São Vicente, litoral de São Paulo.

Policiais civis do 1º Distrito Policial da cidade cumpriam um mandado expedido desde o dia 29 de junho pela própria juíza Patrícia Acioli e foram até a casa da vigilante. O caso foi registrado como captura de procurado.

Policiais denunciados

Em outubro, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou à Justiça 11 policiais militares presos pela morte da juíza. Eles foram denunciados pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha armada.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG