SP implanta rede de tratamento preventivo à infecção pelo HIV

Serviço atenderá pessoas que sofreram situações violência sexual e acidentes profissionais

AE |

selo

A Secretaria de Saúde de São Paulo anunciou a implantação de uma rede de serviços voltada à prevenção da infecção pelo HIV, vírus causador da aids, em pessoas que sofreram situações de possível exposição a esse risco. 

Os serviços vão atender vítimas de violência sexual e acidente profissional, além de situações de rompimento de preservativo entre parceiros sorodiscordantes, isto é, quando um deles sabe que é portador do HIV.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a quimioprofilaxia é uma medida eficaz para prevenção da infecção pelo vírus HIV. O procedimento deve ser realizado no máximo até 72 horas após a exposição. São utilizadas três drogas antirretrovirais, e o tratamento tem duração de um mês.

Para Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/Aids-SP, nas situações de exposição sexual em que a sorologia do parceiro é desconhecida, a quimioprofilaxia deve ser muito bem avaliada, medindo-se riscos e benefícios de sua indicação, conforme o tipo de exposição e risco potencial da contaminação.

"É importante salientar que a quimioprofilaxia não deve ser adotada indiscriminadamente, e que a melhor forma de prevenção é a prática do sexo seguro, ou seja, com preservativo", alerta Maria Clara.

O Centro de Testagem e Aconselhamento do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP atende em média, por mês, 15 situações de acidente entre parceiros sorodiscordantes e oito situações de exposição heterossexual sem sorologia conhecida, além de quatro casos de violência sexual por ano.

A Secretaria de Saúde informou que inicialmente a rede irá contar com 172 serviços de quimioprofilaxia para HIV. Ao longo deste ano, o total deverá chegar a 400. A lista de serviços disponíveis está no site .

    Leia tudo sobre: SAUDENO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG