Os municípios de Eldorado e Sete Barras continuam em estado de calamidade pública. Jacupiranga e Iguape têm situação de emergência

Os moradores da região do Vale do Ribeira, região Sul do Estado de São Paulo, continuam voltando para suas casas após os alagamentos causados pelas chuvas que atingiram a região entre domingo e a última segunda-feira (1), mas municípios ainda sofrem. O temporal atingiu a cabeceira do Rio Ribeira, provocando alagamentos nos municípios de Barra do Turvo, Eldorado, Iporanga, Jacupiranga, Registro, Pariquera-Açu, Sete Barras e Iguape.

(06/08) - Vista de Iguape (SP) onde, em consequência da chuva, uma grande quantidade de troncos e galhos do Rio Ribeira fica presa na barragem do Valo Grande
AE
(06/08) - Vista de Iguape (SP) onde, em consequência da chuva, uma grande quantidade de troncos e galhos do Rio Ribeira fica presa na barragem do Valo Grande

Em Eldorado, município em estado de calamidade pública, 7.450 pessoas, entre desabrigados e desalojados, voltaram para suas casas, sendo que 50 continuam desabrigadas e 1.000 desalojadas. A energia elétrica, o abastecimento de água e a rede de telefonia foram restabelecidos.

De acordo com as informações da Defesa Civil do Vale do Ribeira, 80% da produção agrícola do município foi perdida. Além disso, autoridades locais pedem que as pessoas doem leite para o município.

Em Sete Barras, 400 pessoas continuam desalojadas e foram encaminhadas para a Quadra Coberta Nelson Venâncio de Souza, mas as 182 que estavam desabrigadas já retornaram para suas residências. Alguns bairros rurais continuam sem energia elétrica e com dificuldade de serem acessados, além de não terem fornecimento de água. A cidade teve uma perda de 80% da sua produção agrícola e continua em estado de calamidade pública.

Em Jacupiranga, apesar da situação de emergência, os 200 desalojados retornaram às suas casas. Além disso, a energia elétrica, o fornecimento de água e o sinal de telefonia móvel e fixa foram restabelecidos tanto na área rural, como na área urbana.

Em Registro, as 608 pessoas que continuam desabrigadas e as 210 desalojadas estão sendo abrigadas no Ginásio Márico Covas, em centros comunitários e no Salão Paroquial Nosso Teto. O fornecimento de luz e a água foi parcialmente afetado na zona rural.

Em Iguape, algumas famílias estão isoladas nos bairros rurais de Bocuí e Jipovura, 280 pessoas continuam desalojadas, nos bairros rurais Peropava, Momuna, Baicô, Bocuí, Jipovura e Jairê, e 49 estão desabrigados. O município decretou situação de emergência.

A situação no município de Barra do Turvo está normalizada, sendo que os 40 desabrigados retornaram às suas casas. Os serviços de telefonia, água e energia elétrica estão restabelecidos, tanto na área rural como na área urbana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.