Secretaria afasta delegado que teria agredido cadeirante em SP

Advogado paraplégico discutiu com delegado pelo uso de uma vaga exclusiva a deficientes físicos em um estacionamento

iG São Paulo |

O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, afastou de suas funções o delegado titular do 6º Distrito Policial de São José dos Campos, Damasio Marino, para apurar a responsabilidade funcional dele na agressão a um cadeirante, em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

Nilton Cardin / Futura Press
Anatole Magalhães Macedo Morandini afirma que foi agredido com coronhadas pelo delegado
O advogado Anatole Magalhães Macedo Morandini, que é paraplégico, diz ter sido agredido pelo delegado, na tarde de segunda-feira, por causa de uma vaga de estacionamento especial para deficientes físicos.

O irmão do advogado Anatole Magalhães Macedo Morandini, Fúlvio, contou que por volta das 17h da segunda-feira, Anatole tentava parar seu carro em uma vaga próxima a um cartório no centro da cidade. Porém, a vaga destinada a deficientes físicos estava ocupada. O advogado parou o carro mais longe e quando estava próximo ao cartório viu que o homem que utilizou a vaga não era portador de deficiência física.

Segundo Fúlvio, seu irmão questionou o delegado Damásio Marino, que trabalha na 6º Distrito Policial de São José dos Campos. Os dois discutiram e o delegado teria insultado Anatole. "Meu irmão se sentiu desrespeitado e cuspiu no vidro do carro dele", afirma Fúlvio. O delegado teria então descido novamente do carro, e com uma arma na mão, dado coronhadas na cabeça, olho e boca do advogado.

O delegado foi identificado pois uma pessoa que testemunhou a briga anotou a placa do carro dele, informou o irmão do advogado. Ainda na segunda-feira, Anatole registrou um boletim de ocorrência, por lesão corporal, e fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).  O advogado de defesa de Marino, Luiz Antonio Lourenço da Silva, não foi encontrado para comentar o caso.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) afirmou a Corregedoria da Polícia Civil instaurou Procedimento Administrativo para apurar a responsabilidade de delegado. Desde terça-feira, 18, a Corregedoria de Polícia instaurou Inquérito Policial para apurar crime de lesão corporal dolosa.

Com informações da AE

    Leia tudo sobre: cadeiranteagressãodelegado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG