Secretaria afasta comando de batalhão por morte de 2 em São Paulo

Comandantes foram afastados pela morte de Emerson Heida e Edson Edney da Silva após abordagem policial. Acusados estão presos

AE |

selo

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) de São Paulo informou nesta sexta-feira que foram afastados os comandantes do 50º Batalhão da Polícia Militar (PM), onde estão lotados os agentes suspeitos de matarem Emerson Heida, de 28 anos, e Edson Edney da Silva, de 27, após abordagem policial na zona sul da capital paulista, em setembro. Sofreram a punição o comandante do batalhão, o tenente-coronel Edinaldo Sirino dos Santos, e o capitão da Companhia de Força Tática, Henrique Mota Neves. Os quatro policiais militares suspeitos de participar do crime já estão recolhidos administrativamente e tiveram prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça Militar.

A dupla foi vista pela última vez em uma abordagem policial em Cidade Dutra, também na zona sul. Na data do desaparecimento, 10 de setembro, Emerson pegou emprestado o carro da sogra para levar seu irmão Anderson, de 26 anos, até o trabalho, em São Bernardo, acompanhado do amigo Edson. Segundo familiares, Emerson não tinha habilitação para dirigir e o veículo estava com o licenciamento atrasado, mas decidiu ajudar o irmão recém-contratado. 

No início da noite, Emerson deixou o irmão no ponto de ônibus do Largo do Rio Bonito, no bairro do Socorro, e pegou o retorno para voltar para casa. Anderson contou que entrou no ônibus e, de dentro do coletivo, viu Emerson e Edson parados no cruzamento das avenidas Robert Kennedy e Professor Papini. Ambos estavam fora do carro, com as mãos para trás e conversando com PMs. Emerson não estava armado e não tem passagem pela polícia. Já Edson, segundo a esposa Patrícia Cândido de Paula, já cumpriu dois anos de prisão por roubo.

    Leia tudo sobre: policiaafastados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG