Saúde destina R$ 6,4 milhões para combate ao crack em São Paulo

O ministro da saúde, Alexandre Padilha, também anunciou a construção de unidades para atendimento dos usuários de drogas

iG São Paulo |

O ministro da saúde, Alexandre Padilha, anunciou, nesta quarta-feira, a construção de 10 unidades de acolhimento transitório com até 150 leitos na cidade de São Paulo, para o atendimento de usuários de crack e outras drogas. O Governo Federal aplicará R$ 6,4 milhões em ações neste ano. O ministro esteve reunido com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e a equipe de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Governador: Alckmin diz que Cracolândia precisa "da ajuda de todos"

Epidemia: Em meio à epidemia de crack, Brasil fracassa em tratamento para dependentes

Questão de saúde: Usuário de crack é problema de saúde, diz delegada

Cracolândia: Veja imagens e conheça histórias da região

As unidades de acolhimento somam-se a outras ações anunciadas em dezembro pelo ministério para a capital, como a implantação de 16 Consultórios na Rua – para busca ativa dos pacientes – e dois novos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) 24 horas. O município de São Paulo é prioritário no apoio do governo federal e receberá R$ 6,4 milhões até o final do ano, para as ações de ampliação da rede para atendimento aos usuários. As ações fazem parte do plano “Crack, É Possível Vencer”, lançado dezembro do ano passado pela presidenta Dilma Rousseff . Metade desse valor, R$ 3,2 milhões, já foi empenhado pelo ministério em dezembro.

“Minha visita aqui já estava programada no cronograma de acompanhamento das ações. O crack é um grave problema, não só na cidade de São Paulo, mas no estado de São Paulo, no País”, ressaltou o ministro, que na capital paulista também visitou o CAPS Álcool e Drogas da Praça da Sé, no centro da cidade, e as obras do município no complexo da Rua Prates, no bairro Bom Retiro. O complexo está sendo preparado para acolhimento e atendimento aos usuários.

Plano Nacional

Em todo o País, o plano prevê investimentos de R$ 4 bilhões e a abertura de 13.614 novos leitos para usuários de crack e outras drogas, como o álcool, até 2014. Os leitos serão distribuídos: 1,4 mil em CAPS Álcool e Drogas, 3.604 em enfermarias especializadas e 8.610 em Unidades de Acolhimento Transitório. As ações estão estruturadas em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG