São Paulo vai destruir 5 mil carros apreendidos

São carros apreendidos após serem furtados, roubados, terem o chassi adulterado ou serem objetos de crimes de trânsito

AE |

selo

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo decidiu destruir veículos há anos recolhidos em pátios privados. São carros apreendidos após serem furtados, roubados, terem o chassi adulterado ou serem objetos de crimes de trânsito. Como os processos judiciais que envolvem esses bens levam anos, os automóveis permanecem nos pátios se deteriorando até que a Justiça decida seu destino.

Só que, depois de tanto tempo tomando sol e chuva, eles se descaracterizaram ou foram depenados. Por esses motivos, boa parte não pode sequer ser identificada. Esses veículos terão as carcaças destruídas e o ferro que sobrar será leiloado a interessados na matéria-prima, como siderúrgicas. Nessa situação estão 5 mil dos 16 mil carros do Pátio Santo Amaro, o maior da capital, na região da represa de Guarapiranga, extremo da zona sul.

Para chegar a esse diagnóstico, a pasta designou no ano passado 41 investigadores, que a partir de setembro anotaram números de chassi, motor, modelo e ano de fabricação. Há 15 dias foi publicado edital para escolher a empresa que fará a destruição e o leilão dos veículos. A data da operação ainda não foi marcada. "Esse mesmo trabalho de análise da situação de cada carro será replicado nos outros 40 pátios da capital", explica o secretário-adjunto de Segurança, Arnaldo Hossepian Junior. A decisão só pôde ser tomada após entendimentos com o Ministério Público Estadual e o Judiciário. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: carro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG