São Paulo registra segundo mês consecutivo com aumento de homicídios

Estado ainda tem menos homicídios nos sete primeiros meses de 2011 do que em 2010. Mas numero cresceu em junho e julho

iG São Paulo |

Apesar de registrar queda do número de homicídios em relação aos sete primeiros meses de ano passado, o Estado de São Paulo apresentou crescimento dessa modalidade de crime nos meses de junho e julho, em comparação com os mesmos meses do ano passado.

De acordo com as estatísticas de criminalidade divulgadas mensalmente pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da Secretaria da Segurança Pública (SSP), junho de 2011 teve 12 homicídios a mais do que junho de 2010. Na comparação entre os meses de julho, o crescimento foi ainda maior: 62 pessoas foram assassinadas a mais neste mês de 2011 do que no mesmo mês do ano passado.

Apesar do crescimento em junho e julho, o número de homicídios em São Paulo segue em queda quando comparados com os sete primeiros meses de 2010. Segundo os dados da SSP, foram 8,35% menos homicídios na comparação entre os anos. Isso se deve aos resultados obtidos nos primeiros meses de 2011, como pode ser conferido na tabela abaixo:

 Meses 2010 2011 Diferença
Janeiro 418 356 - 62
Fevereio 399 334 - 65
Março 407 307 - 100
Abril 392 358 - 34
Maio 366 337 - 29
Junho 296 308 + 12
Julho 308 370 + 62
TOTAL 2.586 2.370 - 216

SSP

Com a queda registrada nos sete meses, São Paulo mantém-se fora da zona considerada epidêmica pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – acima de 10 mortes intencionais por grupo de 100 mil habitantes/ano. A taxa de homicídios paulista até julho é de 9,75/100 mil habitantes.

Segundo a SSP, a redução dos homicídios no Estado é liderada pela capital, onde houve queda de 23,7%, com 177 casos a menos. Até julho foram registrados 570 homicídios na cidade de São Paulo, contra 747 de janeiro a julho no ano passado.

Nos sete primeiros meses de 2011 ainda foram registrados mais furtos, furtos de veículos e roubo de veículos no Estado. O número de roubo, em geral, teve uma pequena queda, mantendo-se praticamente estável.

Os furtos cresceram de 289.514, em 2010, para 314.702, em 2011. Os furtos de veículos subiram de 57.394 para 61.449 e os roubos de veículos passaram de 40.131 para 44.142. Os roubos, em geral, tiveram leve queda de 137.036 para 136.605.

As estatísticas da secretaria também indicam que nos sete meses iniciais de 2011, as polícias fizeram mais prisões, apreensões de armas e drogas. As apreensões de armas aumentaram 2,68%, com 297 casos a mais, em relação aos primeiros sete meses de 2010 – a quantidade de apreensões de subiu de 11.082, até julho de 2010, para 11.379 em 2011.

As prisões em flagrante ou por mandado cresceram 10,98% até julho, com 7.632 casos a mais. Os flagrantes de tráfico de entorpecentes aumentaram 21% no período, com 3.636 casos a mais. A polícia fez 20.922 flagrantes de tráfico de entorpecentes até julho, contra 17.286 no mesmo período do ano passado.

O número de roubos de cargas, em queda desde 2009, voltou a cair. Foram 196 casos a menos até julho, em comparação aos primeiros sete meses de 2010 – uma diminuição de 4,84%.

Os casos de extorsão mediante sequestro mantêm-se em queda no Estado. De janeiro a julho de 2011 foram registrados 43 casos, seis a menos que no mesmo período de 2010. A redução mais significativa ocorreu no interior, onde os sequestros caíram de 18 para sete casos, até julho deste ano. Desde 2002, o número de sequestros caiu 80,9% no Estado, de 225 nos sete primeiros meses daquele ano para os atuais 43.

De agosto de 2010 a julho de 2011, o número de sequestros no Estado caiu 22,09%, com 19 casos a menos. Foram registrados 67 sequestros nos últimos 12 meses, contra 86 no período anterior.

    Leia tudo sobre: homicídiossão paulohomicídios

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG