São Paulo realiza leilão de bens de traficantes na quinta-feira

Entre os 218 itens há carros, caminhões, motos e sucatas de veículos, celulares, relógios e quadros

AE |

selo

A Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania (SJDC) de São Paulo anunciou que irá realizar na próxima quinta-feira o quarto leilão de bens de traficantes, o último da gestão atual. Entre os 218 itens há carros, caminhões, motos e sucatas de veículos, além de aparelhos eletroeletrônicos, celulares, relógios e quadros. Os destaques serão duas aeronaves, que juntas valem R$ 100 mil. Todos os bens serão leiloados nas condições em que se encontram e estarão disponíveis para avaliação prévia até as 17h de amanhã.

Segundo a Secretaria da Justiça, entre 2007 e 2010 o governo de São Paulo arrecadou R$ 1.085.610,00 em quatro leilões de bens de traficantes, com 263 lotes apreciados por cerca de mil pessoas nos primeiros três leilões.

"Trata-se do último leilão de bens de traficantes realizado pelo governo do Estado de São Paulo, na atual gestão. Foram três leilões com arrecadação de cerca de R$ 1 milhão. Para esse último leilão, a estimativa é de R$ R$ 500.000,00. Os recursos serão destinados para políticas de prevenção, combate e tratamento ao uso abusivo de tabaco, álcool e entorpecentes no Estado", explica, em nota, o secretário da Justiça do Estado, Ricardo Dias Leme.

O novidade deste leilão é que os lances podem ser feitos pela internet. "Já fazíamos o leilão online aqui e sempre foi um sucesso. Adotamos agora para o leilão da SJDC e já temos 70% dos lotes com lances superiores ao valor inicial", afirma o leiloeiro Jayme Simões.

De acordo com a Secretaria, o leilão de outubro 2007, o primeiro de bens de traficantes realizado pelo governo do Estado, arrecadou R$ 240 mil - ágio de 79% em relação à soma dos lances iniciais dos 57 lotes vendidos. O leilão reuniu cerca de 300 pessoas no auditório da Sodré Santoro, em Guarulhos, na Grande São Paulo. O segundo leilão, em 2008, conseguiu arrecadar R$ 575 mil, com um ágio de 94,36%. O terceiro leilão, realizado em 2009, arrecadou R$ 270.610,00. Na comparação com a soma dos lances mínimos, foi atingido um ágio de 52,89%.

A Secretaria de Justiça informou que quem arremata um veículo não deve se preocupar com o fato de o dono anterior estar envolvido com o tráfico de drogas, já que o veículo ou moto só é colocado à venda após determinação judicial e uma inspeção e avaliação e liberação toda a documentação pelo Detran. Os valores arrecadados são destinados à política de combate, prevenção e tratamento ao uso de drogas e recolhidos ao Fundo Nacional Antidrogas (Funad), com distribuição de 80% para o Estado de São Paulo e 20% para o governo federal.

    Leia tudo sobre: tráficoleilãopolícia. são paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG