Programa se Liga na Rede abriga quarta parte do processo de despoluição do Rio Tietê, iniciado há 20 anos

selo

Como parte do evento Tietê Vivo, em comemoração do Dia do Tietê, o governador (PSDB-SP) assinou neste sábado Projeto de Lei para a criação do Programa Se Liga na Rede, que custeará 100% das ligações na rede de esgoto para famílias de baixa renda - até três salários mínimos mensais. Esse programa abriga a quarta parte do processo de despoluição do Rio Tietê, iniciado há 20 anos e que retoma com força agora na gestão de Alckmin.

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (D), observa Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli plantarem muda no lançamento do Programa Tietê Vivo
AE
O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (D), observa Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli plantarem muda no lançamento do Programa Tietê Vivo
A quarta etapa do trabalho de limpeza do Tietê começa a ser operada a partir da semana que vem pelas Secretaria de Recursos Hídricos e Sabesp e, segundo o governador, é a sequencia natural da fase três, já em curso com recursos de um financiamento da ordem de US$ 1,050 bilhão contraído junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Na entrevista que concedeu após o cumprimento da agenda oficial do evento, o governador deixou transparecer que um não faz sentido sem o outro. 

Com os recursos do BID, o governo do Estado realiza obras que permitirão o recolhimento e tratamento do esgoto dos 26 municípios da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) que ainda não tratam integralmente ou nada do esgoto de suas cidades. "O financiamento do BID é só para esgoto. Não tem nada para água. É para coleta e tratamento de esgoto só na Região Metropolitana de São Paulo", disse Alckmin. 

No entanto, ressalta o governador, não faz sentido o governo do Estado gastar mais de US$ 1 bilhão na construção da estrutura para coleta e tratamento de esgoto se as famílias de baixa renda não têm condições de ligar seu esgoto na rede. É aí que entra o Projeto de Lei que autoriza a Secretaria de Recursos Hídricos e a Sabesp a proceder o custeamento integral das obras de ligação do esgoto das famílias de baixa renda na rede. Esse serviço custa ao cidadão algo entre R$ 1,5 mil e R$ 1,6 mil. "O Estado custeará 80% do valor, e a Sabesp entrará com os 20% restantes", disse Alckmin. 

Só com a fase 3 do projeto de despoluição do Tietê, o tratamento do esgoto na RMSP saltará de 70% para 84%. Há 16 anos, segundo Alckmin, apenas 24% do esgoto produzido na RMSP era tratado. Essa região acomoda cerca de 20 milhões. Depois virá a fase de educação ambiental, principalmente na rede escolar estadual, para conscientizar as pessoas a parar de jogar lixo no rio. "Todos os dias são jogadas 500 toneladas de lixo no Tietê. Conseguimos tirar 200 toneladas, mas até o final do ano tiraremos quase meio milhão de toneladas. Ao menos 450 toneladas", prometeu o governador. 

Outros projetos de menor proporção compõem o grande projeto de despoluição do Tietê. Um deles é o Jardim Metropolitano de 16 quilômetros - oito de cada lado - na área do Parque Ecológico do Tietê. O projeto paisagístico é de Ruy Ohtake e integra o Projeto Parque Várzeas do Tietê, capitaneado pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE). "Publicaremos o edital na próxima semana", disse o governador. Para ele, em mais seis ou oito semanas o projeto começará a ser implementado. 

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (ex-DEM), que também participou das comemorações do Dia do Tietê, afirmou que as ligações de esgoto clandestinas no município de São Paulo serão todas regularizadas de forma gratuita. "Quando o poder público e a sociedade civil estão juntos, ninguém pode", discursou o prefeito, enfatizando que muito do que foi feito no sentido de despoluir o Rio Tietê foi por pressão da sociedade civil que nutri o desejo de ver o Tietê livre da poluição. 

Alckmin lembrou que a mancha de poluição do Tietê que se estendia até o município de Barra Bonita, interior do Estado, retrocedeu 160 quilômetros. "O último lugar a ser recuperado é São Paulo", disse o governador, que também lançou neste sábado o Manifesto Tietê Vivo - Compromisso de Todos Nós, um livro com 1 milhão de assinaturas. Além do governador, assinaram o manifesto o prefeito Kassab e prefeitos de algumas das 26 municípios da RMSP, secretários do Estado, representantes de Organizações Não-Governamentais (ONG) e Paulínia Chamorro, Rádio Estadão ESPN, antiga Rádio Eldorado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.