São Paulo aplica R$ 131 mil em multas contra madeira ilegal

Batizada de Operação Amazônia, ação faz parte do programa São Paulo Amigo da Amazônia, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente

AE |

selo

A Polícia Militar Ambiental de São Paulo aplicou R$ 131 mil em multas nos últimos dois dias, em uma grande blitz realizada nas fronteiras e nas principais madeireiras do Estado, para fiscalizar a madeira nativa amazônica. Batizada de "Operação Amazônia", a ação faz parte do programa "São Paulo Amigo da Amazônia", criado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente em 2007 para coibir a comercialização de madeira ilegal.

A ação contou com a participação de 272 policiais e 95 viaturas, que bloquearam as fronteiras de São Paulo com Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais em 26 pontos e fiscalizaram 28 madeireiras. Duas pessoas foram presas em flagrante e 343 veículos foram vistoriados nesses dois dias.

De acordo com o porta-voz da PM Ambiental, capitão Marcelo Robis Francisco Nassaro, entretanto, nenhuma apreensão de madeira ilegal foi realizada. "Detectamos apenas irregularidades de documentação, de saldo, mas não achamos madeira ilegal", afirmou. Ele explicou que além de mobilizar toda a corporação nessas grandes operações, a PM realiza fiscalizações diárias, com cada batalhão atuando em suas áreas, sempre com o apoio do Instituto Florestal, que auxilia os policiais na identificação da madeira.

"Temos uma ferramenta pioneira no Brasil, com um microscópio que tira uma foto da madeira no campo, na rua, na madeireira. Enviamos essa imagem on line para o Instituto Florestal que analisa a amostra e nos manda a resposta", disse Nassaro, que comemora o fato de o número de apreensões de madeira ilegal estar caindo nos últimos anos.

"É um excelente indicativo para o Estado de São Paulo porque demonstra que o índice de legalidade do setor está melhorando. A gente vem fazendo operações constantes desde 2007 para apoiar a Amazônia. Se a quantidade de madeira apreendida vem reduzindo muito não é pela diminuição do esforço, muito pelo contrário, cada vez a gente fiscaliza mais", completa. Dede 2007, a PM ambiental já apreendeu aproximadamente 8 mil toneladas de madeira nativa amazônica em São Paulo.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, elogiou a ação da Polícia Ambiental e afirmou que além de impedir a entrada de madeira ilegal de outros lugares, a polícia está atuando para impedir a extração de madeira ilegal no próprio Estado. "Do ponto de vista ambiental isso tudo é muito importante, porque fixa carbono e contribui para a nossa política estadual de mudanças climáticas", disse Covas ontem.

O secretário esteve em Santos para inaugurar no pátio do hospital Guilherme Álvaro, no Boqueirão, uma Estação de Medição da Qualidade do Ar, a primeira automática da Baixada Santista e a 42ª do Estado a disponibilizar de hora em hora nos sites da secretaria e da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) medições de quantidade de óxido de nitrogênio, óxido de ozônio e partículas inaláveis, além de parâmetros meteorológicos como ventos, temperatura e umidade relativa do ar. O equipamento custou R$ 750 mil.

    Leia tudo sobre: madeira ilegaloperação amazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG