Rompimento de tubulação de água afeta 15 mil no centro de São Paulo

Adutora se rompeu nesta madrugada e inundou a avenida do Estado, no centro da capital. Moradores do Bom Retiro, Pari e Ponte Pequena estão sem água

iG São Paulo |

AE
Buraco com mais de 5 metros de diâmetro se abriu na rua São Caetano, no centro
Desde as 4h, quando uma adutora estourou na região da avenida do Estado, o abastecimento de 15 mil pessoas foi afetado. As informações são da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que trabalha no local para a remoção da água na região da rua São Caetano, no centro da capital. A avenida do Estado, sentido Santana, chegou a ser ocupada e interditada para o tráfego.

Inundação: Tubulação de água se rompe e bloqueia avenida do Estado

Segundo o órgão, os moradores do bairro Ponte Pequena, ao lado do Metrô Armênia, são os mais afetados pelo rompimento da tubulação da rede de água. Em nota, a Sabesp lamentou o ocorrido e afirmou que todas as pessoas que tiveram prejuízos com a ocorrência serão indenizadas.

O órgão informou que o escoamento foi finalizado e, com a drenagem da água, os serviços de reparos foram iniciados. A previsão é de que até o final do dia o abastecimento seja normalizado na região. A pedido da empresa de saneamento, os moradores da região dos bairros Bom Retiro e Pari devem economizar água até a finalização dos trabalhos.

AE
Rua São Caetano, no centro de São Paulo, ainda é vista tomada pelas águas nesta manhã

Interdições

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), com o rompimento da tubulação, a avenida chegou a ser tomada pelas águas. Motoristas foram recomendados a evitar a região da avenida do Estado próximo à região do Mercadão. Às 7h15, a avenida foi liberada para o tráfego.

Bloqueios operacionais foram realizados nas avenidas do Estado e Mercúrio. No momento, a rua São Caetano permanece tomada pelas águas e interditada. Um buraco de mais de 5 metros de diâmetro se abriu, atingindo casas e carros. No local, há pelo menos 2 km de congestionamento, que segue até a altura da rua Trinta e Um de Março.

*com AE


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG