Relatora da ONU pede que autoridades suspendam despejos no Pinheirinho

Raquel Rolnik solicitou alternativas de habitação para os moradores que foram expulsos e condenou a ação policial

iG São Paulo |

Flávio Forner / BBC Brasil
Relatora da ONU pede que autoridades de SP suspendam ordem de despejo
A Relatora Especial da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o direito à moradia adequada, Raquel Rolnik, pediu às autoridades do Estado de São Paulo que suspendam a ordem de despejo e a ação da polícia no Pinheirinho, em São José dos Campos . “A suspensão da ordem de despejo permitiria que as autoridades retomem as negociações com os moradores, a fim de encontrar uma solução pacífica e definitiva para o caso, em total conformidade com as normas internacionais de direitos humanos.”

Nesta sexta-feira, Rolnik solicitou que autoridades brasileiras encontrem alternativas de habitação para as pessoas que foram expulsas do assentamento. Cerca de 6.000 residentes foram afetados pela ordem de despejo emitida pela Justiça no fim de dezembro.

Explicação: Após críticas, PM envia e-mails para explicar ação no Pinheirinho

Abrigo: Famílias retiradas do Pinheirinho aceitam ir para abrigo

Paula Miraglia: Sem solução, apenas violência

A relatora também condenou a ação policial na reintegração de posse. “Estou chocada com os relatos do uso excessivo da força usada durante os despejos em 22 de janeiro”. Ela se referiu às informações de que a Polícia Militar teria usado gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os moradores, incluindo crianças e idosos, deixando 20 moradores feridos, um gravemente.

“Disseram-me que Pinheirinho ainda está sob cerco e que não é permitido que ninguém entre na área”, afirmou. “A situação atual das pessoas despejadas é extremamente preocupante. Sem alternativas de habitação, elas estão vulneráveis a outras violações de direitos humanos”, concluiu Rolnik.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG