Preso ladrão que invadiu delegacia para assaltar mulher em SP

Roubo aconteceu em maio de 2010 e causou a queda do delegado titular do município

AE |

selo

A Polícia Civil de Sorocaba apresentou nesta sexta-feira o homem acusado de ter invadido uma delegacia e pulado o balcão para roubar a bolsa de uma mulher na frente dos policiais, em maio do ano passado, em Salto , a 98 km de São Paulo. O acusado, Rodolfo Correia Tibúrcio, o Dodô, de 21 anos, estava preso por tentativa de homicídio desde o início de março e foi reconhecido pela vítima. O outro homem que participou do roubo, dando cobertura a Dodô, identificado como Hildo Nazário Ferreira Filho, o Hildinho, está foragido.

A invasão do 1º Distrito Policial, na época, causou a queda do delegado titular do município e levou o secretário estadual de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, a iniciar uma revisão na estrutura física da Polícia Civil. O esclarecimento do crime, onze meses depois, foi anunciado pelo diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-7), Weldon Costa, e reuniu a cúpula da polícia na região. "Aquele fato maculou nossa imagem e prender os autores passou a ser questão de honra", disse Costa.

Segundo ele, a demora ocorreu porque os criminosos não eram da cidade e agiam em Itu. O delegado que conduziu a investigação, José Urban, disse que a vítima, a comerciante Nadir Aparecida Tarosso, viu 16 mil fotografias e não reconheceu o assaltante. A polícia chegou a Dodô por meio de uma testemunha que teria avistado os dois homens contando o dinheiro e se vangloriando do crime. Os bandidos chegaram a dar um churrasco para comemorar o feito.

De acordo com o delegado, Dodô tinha passagens pela antiga Febem (hoje Fundação Casa) e já estivera preso - ele foi marcado na prisão com uma tatuagem com o número 157, que corresponde a um artigo de crimes contra o patrimônio no Código Penal. Ele teve a prisão preventiva decretada pelo outro crime e está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba. Agora responderá também pelo furto. Hildinho, condenado a 15 anos de prisão por homicídio, é procurado pela polícia.

Ousadia

No dia do crime, Dodô e Hildinho viram a mulher sacar R$ 15 mil numa agência de Itu e a seguiram de moto. Quando ela parou no DP de Salto para registrar a ocorrência de um celular clonado, Dodô entrou no prédio e tentou tirar sua bolsa. A mulher reagiu e, mesmo sendo agredida, jogou a bolsa por sobre o balcão. O bandido não se intimidou com a presença de três policiais - um escrivão, uma carcereira e uma atendente -, pulou o balcão e fugiu com a bolsa.

    Leia tudo sobre: delegacialadrãosalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG