Suspeito pagava passagens aos travestis trabalharem na capital paulista. Eles não seriam libertados enquanto não pagassem dívida

A Polícia Militar prendeu no início desta madrugada de quinta-feira, um homem acusado de forçar pelo menos 11 travestis a trabalhar para ele, em cárcere privado, em uma casa na Avenida Miruna, em Moema, zona sul de São Paulo. As autoridades do Estado do Amazonas receberam a denúncia de exploração de um homem, que procurava um irmão desaparecido na capital paulista.

Onze travestis e o encarregado por eles foram levados ao 27º DP do Campo Belo, nesta quinta
AE
Onze travestis e o encarregado por eles foram levados ao 27º DP do Campo Belo, nesta quinta

O amazonense disse à polícia que seu irmão foi agenciado através de um contato pela internet. Segundo as investigações, o aliciador pagaria a passagem para as vítimas virem para São Paulo, cerca de R$ 600, mas teriam que permanecer na casa enquanto não pagassem a dívida.

Assim que elas chegavam, o valor da dívida dobrava para R$ 1,2 mil, e aumentava constantemente. Sem dinheiro, as vítimas não conseguiam deixar o local. Doze pessoas foram levadas para a delegacia, entre elas o gerente da casa, uma espécie de encarregado dos travestis.

A ação policial teve apoio do Ministério Público e do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. O caso foi registrado no 27º DP, do Campo Belo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.