Presidente de sindicato relata brigas de diretor assassinado

Isao Hosogi afirmou que o diretor do Sindmotoristas-SP Sérgio Augusto Ramos apresentou um comportamento violento nos últimos meses

Márcio Apolinário, especial para o iG |

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas-SP), Isao Hosogi, conhecido por 'Jorginho', afirmou que o diretor Sérgio Augusto Ramos, de 48 anos, morto na madrugada de segunda-feira por dois homens na frente da garagem da Viação Itaim Paulista (VIP) M'Boi Mirim e Guarapiranga, apresentou um comportamento violento nos últimos meses.

Segundo o presidente, entre junho e outubro, o diretor participou de pelo menos duas brigas. “Em uma das brigas que eu presenciei ele estava discutindo com outro membro do sindicato. Eles estavam em um bar quando o Sérgio deu um soco no outro colega, que chegou a cair debaixo da mesa de sinuca”, afirmou Jorginho, que acrescentou que “Sérgio vinha apresentando esse comportamento desde as prévias da eleição do meio do ano. Em uma de nossas reuniões ele chegou a me insultar na frente de todos, me chamando de ladrão sem ter nenhum argumento para essa atitude”.

De acordo com o sindicalista, outras brigas que aconteceram envolvendo Sérgio foram por conta de seus trabalhos paralelos. “Descobri há pouco tempo que ele trabalhava também como agiota. Em uma ocasião recebi uma reclamação de ele ter batido em um membro do sindicato que devia dinheiro para ele”.

Questionado sobre ameaças que motoristas e membros do sindicato sofrem, o presidente disse que elas são constantes, mas são sempre ameaças de briga. “Quem mais recebe ameaças são as pessoas que trabalham na rua. A ameaça pode ser motivada pelo motorista ter fechado um motoqueiro ou por um passageiro insatisfeito. Mas esse não era o caso de Sérgio, já que ele trabalha dentro da garagem. Só consigo atribuir ao caso ao seu comportamento dos últimos tempos, o qual eu não consigo saber o porquê. Mas quem deve descobrir o que aconteceu é a polícia", afirmou Jorginho.

A morte

Sérgio Augusto Ramos foi morto a tiros por volta das 5h40 de segunda-feira, no portão da garagem da Viação VIP – M’Boi Mirim. De acordo com a Polícia Civil, ele chegou a ser levado ao Posto de Saúde do Jardim Jacira e transferido para o Hospital Geral de Itapecerica da Serra, mas morreu por volta das 7h10.
Ainda segundo a polícia, um motorista de 34 anos e um rapaz de 29 testemunharam o crime, e relataram que Sérgio estava na frente da garagem trabalhando, quando uma moto amarela se aproximou, e um dos dois ocupantes desceu atirando na vítima. Cinco balas foram encontradas deflagradas no chão e a polícia investiga o caso.

Como protesto, os funcionários da companhia, que opera com 500 veículos na zona sul da cidade, fizeram uma paralisação de 0h até as 11h desta terça-feira em protesto contra a morte do diretor do sindicato.

    Leia tudo sobre: sindicatoassassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG