Prefeitura de SP tem dez dias para explicar aumento da passagem

Em mais uma semana de protestos, Justiça de São Paulo exige que Prefeitura justifique o aumento da tarifa de ônibus

iG São Paulo |

Mario Palhares/Futura Press
Estudantes se concentram na praça Oswaldo Cruz, antes de protesto que seguiu pela av. Paulista
A Prefeitura de São Paulo tem dez dias para justificar o aumento de 11,11% na tarifa de ônibus, que passou de R$ 2,70 para R$ 3,00 em janeiro deste ano. A decisão foi tomada pelo desembargador David Haddad, na última segunda-feira (21). A partir daí, o representante do Ministério Público tem mais dez dias, prazo improrrogável, para se manifestar.

Em sua decisão, o desembargador rejeitou o pedido de liminar feito em fevereiro pelo vereador Ítalo Cardoso requerendo a suspensão imediata do aumento da passagem. O argumento do vereador era de que isso não beneficiaria a população e proporcionaria um ganho exorbitante aos concessionários e permissionários.

O caso será julgado pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. Haddad concluiu que em "cuidadosa análise o Órgão Especial solucionará a questão, adotando eventualmente as providências que entender cabíveis".

Protestos

Nesta quinta-feira, o Movimento Passe Livre realizou a décima manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus. O grupo se reuniu na avenida Paulista e foi em direção à sede da Prefeitura de São Paulo, no Centro da cidade.

    Leia tudo sobre: protestoônibusprefeiturajustiça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG