Postos acatam lei que proíbe venda de bebida alcoólica em Mauá

Reportagem do iG acompanhou blitz da prefeitura; postos não vendem, mas guardam bebidas em estoque

Danielle Assalve, iG São Paulo |

No sábado, dia em que entrou em vigor a lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis em Mauá, na Grande São Paulo, a reportagem do iG acompanhou a blitz da prefeitura em três postos de combustíveis da cidade. Em todos os estabelecimentos, não havia nenhum sinal de bebida alcoólica à venda. “Eles já haviam sido visitados na semana passada e foram informados de que a lei entraria em vigor”, diz José Nelson, fiscal de posturas da Secretaria de Planejamento.

nullSegundo o secretário de Segurança Pública de Mauá, Carlos Wilson Tomaz, os 39 postos de combustível da cidade estão cumprindo a lei. “Estamos vendo uma receptividade muito boa dos postos à nova lei”, diz. Para evitar que a venda de bebidas seja retomada, o secretário informa que a fiscalização continuará ocorrendo “diariamente e de forma sistemática”.

A fiscalização da prefeitura foi acompanhada por duas viaturas da Guarda Civil. Em cada vistoria, Tomaz e Nelson conversavam com gerentes e funcionários de lojas de conveniência e conferiam as geladeiras e prateleiras em busca de bebidas à venda – mas os estoques foram deixados de lado. “Nosso objetivo é fiscalizar se a bebida está sendo comercializada”, diz Nelson, ao explicar o motivo de não conferir as áreas internas das lojas. A chegada das viaturas causou surpresa aos funcionários, que visivelmente não esperavam pela visita.

Após a blitz, o iG percorreu outros postos da cidade e, em conversas com gerentes e funcionários, soube que muitas lojas de conveniência apenas transferiram as bebidas alcoólicas das geladeiras para os estoques. “Vamos cumprir a lei, não vamos vender bebida. Mas também não vamos jogar tudo fora. Se acabar a proibição, voltamos com tudo para o lugar”, diz o funcionário de um posto que prefere não ser identificado.

Além da proibição para venda de bebidas alcoólicas, os postos precisam afixar em local visível uma placa com informações sobre a lei. Também fica proibido o consumo de bebidas alcoólicas nas dependências do posto, sob pena de multa de R$ 2.600 e, em caso de reincidência, a loja de conveniência poderá perder o alvará de funcionamento.

    Leia tudo sobre: bebida alcoólicaproibiçãomauá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG