Polícia prende suspeito de roubo ao BC de Fortaleza

Após denúncia anônima, Antônio Reginaldo de Araújo foi preso na zona sul de São Paulo. Ele é um dos bandidos mais procurados do Ceará

iG São Paulo |

Os Policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar) prenderam, na noite de quarta-feira (24), Antônio Após denúncia anônima, o suspeito foi preso com documentos falsos em na rua Teotônio Vilela, no Jardim São Rafael, na zona sul de São Paulo. Após ter os documentos descobertos, Araújo confirmou que participou do roubo e que já gastou os R$ 5 milhões que ganhou pela participação no crime.

Araújo foi surpreendido pela polícia em frente a uma oficina mecânica. "Ele apresentou um documento falso, mas a denúncia informava que ele estaria em posse da falsificação. Depois de entrevistado, ele acabou confessando ter participado do assalto em Fortaleza", contou o tenente Edson Saldiva Jordão. "A riqueza de detalhes da denúncia leva a crer que a pessoa conhecia bem Araújo, inclusive sua rotina. Talvez alguém com desavença pessoal", disse Jordão.

Futura Press
Reginaldo de Araújo, de 34 anos, era procurado pelo furto ao Banco Central de Fortaleza, em 2005

Araújo é um dos bandidos mais procurados do Ceará. Ele estava no grupo de 10 presos que fugiram do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira (IPPOO II), em Itaitinga, na região metropolitana de Fortaleza. Na ocasião, um bando armado invadiu a cadeia e libertou os detidos. O criminoso foi encaminhado à sede do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), na zona norte de São Paulo, onde deve ser interrogado novamente antes de ser transferido para o Ceará.

No início de junho, a Polícia Civil de São Paulo prendeu o suposto mentor do roubo ao BC . Edézio Batista das Neves Sobrinho, de 33 anos, estava foragido desde fevereiro, após ter fugido do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II, localizado na região metropolitana de Fortaleza. Sobrinho já vinha sendo monitorado pela divisão de inteligência do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), e acabou preso na favela do Buraco Quente, na zona sul da capital. Lá, ele montava uma quadrilha responsável pelo tráfico de drogas da região.

O roubo

O furto ao BC de Fortaleza ganhou destaque por ter sido a maior ação já orquestrada por criminosos em toda a história do País. Para realizar o assalto, os ladrões abriram túnel de 78 metros até o cofre do banco e levaram R$ 164,7 milhões.

O cofre havia sido fechado às 18h do dia 5 de agosto de 2005 e o rombo só foi descoberto três dias depois, na manhã do dia 8. Ao chegarem ao trabalho, funcionários do BC viram um buraco de 70 cm de diâmetro no piso do cofre e deram pela falta de cinco contêineres de cédulas de R$ 50 - como eram notas usadas, foi impossível fazer o rastreamento delas.

Para chegar ao cofre do banco, os ladrões tiveram de perfurar um piso de 1,10 metro de espessura de concreto revestido com uma malha de aço. Dentro do cofre havia sensores de movimento e câmeras de vigilância, que, estranhamente, não dispararam. O túnel partia de uma casa usada por uma empresa de fachada, numa rua paralela à do banco.

    Leia tudo sobre: roubobcbanco central de fortaleza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG