Polícia prende seis em ataques a caixas eletrônicos em São Paulo

Um dos assaltante foi morto durante a madrugada, após dois ataques a caixas eletrônicos

AE |

selo

Seis bandidos foram presos e um morto, entre a 1 hora e as 4 horas desta madrugada de sábado após dois ataques a caixas eletrônicos na zona leste de São Paulo. 

No primeiro caso, um grupo de pelo menos cinco homens tentou arrombar, com uso de maçarico, um caixa eletrônico instalado no interior da unidade do D'avó Supermercados localizada na altura do número 2.000 da Estrada de Itaquera-Guaianazes, no Jardim Helena, zona leste de São Paulo. 

Policiais militares foram acionados até o local após disparo de alarme, mas foram agentes do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA) que, em diligência, detiveram dois bandidos de imediato e outro nas proximidades. Um quarto foi baleado e morto em confronto e um quinto teria escapado. Os bandidos foram encaminhados para a Delegacia de Roubo a Bancos do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). 

Agência

Por volta das 4 horas, policiais militares da 4ª Companhia do 2º Batalhão, em patrulhamento pelo bairro da Ponte Rasa, desconfiou de três homens que caminhavam na rua paralela à avenida São Miguel.

Com o trio havia um maçarico e R$ 6.582,00. Os suspeitos, que caminhavam à procura de um táxi, haviam invadido uma agência do Santander, na altura do nº 4.865 da Avenida São Miguel, onde cortaram uma das máquinas e dela retiraram o cofre. O trio foi encaminhado ao plantão do 62º Distrito Policial, da Ponte Rasa.

Do início do ano até o momento, já foram registrados, de acordo com o apurado pelo portal do Estadão, pelo menos 39 ataques a caixas eletrônicos na região metropolitana de São Paulo no período entre as 20h30 e 4 horas. Foram 20 casos na capital e 19 nas cidades da Grande São Paulo.

Nestes 14 dias de maio, esse é o 13º caso. O saldo até o momento é de 22 bandidos presos e três mortos em confronto com a polícia.

AE
Bandidos tentam explodir caixa eletrônico na zona leste de São Paulo

Notas manchadas

Em nota divulgada nesta quarta-feira, o Banco Central (BC) informou que toda cédula que contiver manchas, rabiscos, símbolos ou desenhos deve ser depositada ou trocada em estabelecimento bancário. "A população e o comércio devem recusar o recebimento de notas do Real marcadas", afirma a nota, em resposta às dúvidas sobre o destino das cédulas manchadas com tinta vermelha. Estas notas são manchadas como forma de combater furtos a caixas eletrônicos.

O BC esclarece que, caso alguma cédula marcada seja recebida inadvertidamente, ela deve ser encaminhada a um estabelecimento bancário, que entregará um recibo a quem apresentou a cédula. A cédula será então encaminhada ao BC para exame e destruição. Caso a nota seja legítima, a pessoa que a apresentou será ressarcida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG