Polícia ouve funcionários da empresa de segurança do banco Itaú

Depois de 18 dias do roubo de 138 cofres particulares na agência localizada na Av. Paulista, polícia não confirma se recebeu lista de clientes roubados

iG São Paulo |

Funcionários que fazem a segurança do banco Itaú foram prestar depoimento nesta quarta-feira no Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). Depois de 18 dias do roubo, a polícia ainda investiga como o alarme da área em que ficam os cofres foi desligado e não confirma se recebeu do Itaú a relação de clientes roubados. A assessoria de imprensa do banco afirma que 120 clientes foram roubados, mas não informa se forneceu a relação para a polícia.

Na terça-feira (13), o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, voltou a afirmar que uma falha da polícia gerou o atraso no início das investigações sobre o roubo de 138 cofres particulares da agência bancária que fica na Avenida Paulista. Uma investigação paralela do caso, feita pelo delegado titular do 69° Distrito Policial (Teotônio Vilela), Rui Ferraz Fontes, foi considerada, por uma ala da Polícia Civil, a causa do atraso.

Um boletim de ocorrência foi aberto no 69° DP por formação de quadrilha e investiga um grupo que pode ter envolvimento com o roubo dos cofres do Itaú. Carneiro afirmou que todas as informações obtidas por Fontes devem ser repassadas para o Deic, que investiga o caso.

Roubo

Na noite de 27 de agosto, uma quadrilha entrou na agência do banco Itaú e roubou joias e dinheiro de 138 cofres particulares, durante 10 horas. Os bandidos usavam macacões cinza e capacetes azuis, disfarce da construção civil, e entraram no local pela lateral da agência. No dia seguinte, 28, a polícia encontrou, dentro da agência, maçaricos, serras de diversos tipos, compressores, furadeiras, transformadores e cilindros de oxigênio e acetileno – ferramentas usadas para abrir os cofres.

Polícia Militar

Imagens exibidas no último domingo (11) pelo Domingo Espetacular, da Rede Record, mostram dois homens, um deles vestindo o uniforme cinza, conversando por oito minutos na frente do banco Itaú. Além disso, as imagens mostram a movimentação de policiais militares em frente à agência. Às 7h18 do dia 287, dois policiais passam no local, durante patrulhamento e às 10h12 uma viatura da Polícia Militar passa lentamente em frente ao banco, dá ré e depois vai embora.

    Leia tudo sobre: roubobanco itaúclientessão paulodeicsegurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG