Polícia investiga participação de PMs em chacina

Quatro pessoas da mesma família foram mortas a tiros em Campinas

iG São Paulo |

Policiais militares são suspeitos de envolvimento na chacina que matou quatro pessoas de uma mesma família, na segunda-feira, numa residência localizada na Rua Romeu Cicarelli, no Jardim Novo Maracanã, em Campinas, interior de São Paulo. Segundo informações do delegado Rodrigo Otávio Monteiro, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, outras hipóteses não estão descartadas, mas essa é a "mais forte".

De acordo com Monteiro, depoimento informal de amigos e parentes aponta que a chacina teria sido uma vingança a um crime ocorrido em abril. Uma das vítimas da chacina, um cabeleireiro de 20 anos, é suspeita de ter assaltado e deixado paraplégico um policial militar. "Essa é uma das hipóteses levantadas por pessoas próximas à família que morreu na chacina. O crime teria sido motivado por vingança. Mas é uma das hipóteses. Hoje, a mais forte. Mas não descartamos outras possibilidades", disse Monteiro.

Chacina

Testemunhas afirmam que duas pessoas chegaram encapuzadas, invadiram a casa, atiraram contra as quatro pessoas e fugiram em um Gol branco, ocupado pelo terceiro criminoso, que ficou com a incumbência de ser o piloto de fuga dos assassinos.

Todos foram mortos a tiros. Segundo informações da polícia, uma das vítimas teve a mão amputada e levada pelos criminosos.

Foram mortos um porteiro, de 44 anos, a mulher dele, de 38, o filho do casal, de 20, que trabalhava como cabeleireiro, e a mãe do porteiro, de 84 anos. Uma criança de 7 anos dormia no quarto e saiu ilesa. Não se sabe ainda se ela foi poupada pela dupla ou se os criminosos simplesmente não a viram.

Por meio da assessoria de imprensa, a Polícia Militar informou que está investigando a acusação

    Leia tudo sobre: chacinaCampinas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG