Polícia investiga obra em prédio que desabou em São Bernardo

Após vistoria, delegado afirmou que no último andar havia uma obra, mas não dá para afirmar que tenha relação com o desabamento

Carolina Garcia, iG São Paulo |

A Polícia Civil de São Paulo instaurou um inquérito para investigar as causas do desabamento do prédio no centro de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, ocorrido na noite desta segunda-feira. Equipes do Corpo Bombeiros ainda estão no local em busca da enfermeira Patricia Alves, de 26 anos . Uma criança de 3 anos morreu e pelo menos seis pessoas ficaram feridas. O Instituto de Criminalística (IC) já esteve no edifício, e deve retornar nesta terça-feira para concluir a perícia.

AE
Cachorros auxiliam a busca pela enfermeira Patrícia Alves, desaparecida desde a noite desta segunda-feira
O delegado titular do 1º Distrito Policial de São Bernardo, Victor Vasconcellos Lutti, ouviu algumas testemunhas nesta segunda-feira. De acordo com ele, a polícia ouviu de uma delas detalhes sobre uma obra que teria ocorrido no prédio há alguns anos. "Descarto explosão e vamos investigar essa possível intervenção que aconteceu há alguns anos", afirmou o delegado nesta terça-feira, ao visitar o local do desabamento.

Imagens: Veja fotos e vídeo do desabamento em São Bernardo do Campo
Susto:
'Pensei que já estivesse morta', diz sobrevivente de desabamento
Vistoria:
Prédio não corre risco de novo desabamento, dizem bombeiros

Após vistoria de cerca de 1 hora, o delegado afirmou que no 13º andar do prédio, onde ficava uma espécie de depósito, havia uma obra para conter uma infiltração que parecia não estar em boas condições, mas que isso não significa que tenha relação com o desabamento.

Além desta testemunha, outras pessoas foram interrogadas. “Ouvi um ruído e depois uma janela quebrou”, relatou a médica no plantão do 1º DP. Em seguida, ainda segundo a médica, “tudo começou a desabar”. Ela e sua paciente foram atingidas por uma porta da clínica. Ambas ficaram impossibilitadas de sair, sendo socorridas pelos bombeiros e atendidas no próprio local por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Além de médica, o síndico do prédio e outra vítima foram ouvidos pela polícia. “Para continuarmos as investigações precisamos de laudos do IC”, afirmou o delegado.

    Leia tudo sobre: desabamentosão bernanrdo do campo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG