Polícia indicia ex-namorado pela morte de Mércia Nakashima

Mizael Bispo de Souza é acusado de ter assassinado a advogada por ciúme e está foragido

iG São Paulo |

A Polícia Civil de São Paulo indiciou, nesta quarta-feira, o advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza por homicídio doloso triplamente qualificado e ocultação de cadáver contra a ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima, de 28 anos. A informaçao foi confirmada pelo delegado Antônio Olim, do Departamnento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que preside as investigações.

Para a polícia, o assassinato foi premeditado e Bispo matou a ex por ciúme e por não se conformar com o término da relação. Na segunda-feira, Olim afirmou ter certeza da autoria do crime: "eu tinha dúvida se o Evandro (Bezerra da Silva) é quem tinha cometido o assassinato, mas com o depoimento dele, mais as provas, fica conclusivo que o Mizael foi quem matou Mércia".

O objetivo principal da polícia agora é localizar Bispo, que está foragido desde sábado, quando a prisão temporária foi decretada. O advogado dele, Samir Haddad Filho, disse que ele não vai se apresentar à polícia até que todos os recursos jurídicos estejam esgotados. Na terça-feira, Haddad Filho entrou com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), mas ele ainda não foi apreciado.

Acareação

Na terça-feira também, a polícia realizou uma a acareação entre o vigia Evandro Bezerra Silva, que foi preso na semana passada em Sergipe, e uma das testemunhas do assassinato de Mércia Nakashima. Anteriormente, a testemunha havia dito à polícia que ouviu o vigia dizer que recebeu R$ 5 mil para fazer uma "coisa errada". Na acareação voltou atrás e negou conhecer Silva.

Segundo Olim, o depoimento "foi uma mentirada". "Ele queria aparecer para a mídia. Eu já havia percebido que não era verdade o que ele havia dito, por isso decidimos pela acareação", explicou ao iG. A polícia pretendia esclarecer a participação de Silva e se ele recebeu algum dinheiro pelo crime. "A testemunha ajudou em outros pontos da investigação, mas essa história do dinheiro era mentira", esclarece o delegado.

Entenda o caso

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ultimosegundo%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237718634093&_c_=MiGComponente_C Mércia foi vista pela última vez no início da noite do dia 23 de maio, no bairro Macedo, em Guarulhos, na casa da avó. Depois que a advogada saiu de lá, não fez mais contato com amigos ou a família.

Mércia e Mizael foram sócios e namorados. Em entrevista ao iG, a irmã de Mércia, Claudia Nakashima, disse que o namoro dos dois foi marcado por idas e vindas e muitas brigas. Quando estava com ele “Mércia era outra pessoa”. “Ela não podia falar com ninguém, vizinhos do prédio até falam que quando ela estava sozinha no elevador cumprimentava; quando estava com ele, abaixava a cabeça”, diz Cláudia.

No dia do sumiço de Mércia, o advogado diz que foi visitar a filha e um irmão, com quem almoçou e, depois, saiu com uma garota de programa. Um fato que complica a situação de Bispo é que o rastreador do carro dele mostrou que das 18h40 às 22h38 ele ficou estacionado em frente ao estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, em uma rua a menos de cinco minutos da casa da avó de Mércia.

No dia 11 de junho, um pescador encontrou o corpo de Mércia boiando em uma represa de Nazaré Paulista. No mesmo local, um dia antes, homens do Corpo de Bombeiros de Atibaia já haviam localizado o veículo da vítima, com todos os pertences dela dentro.

    Leia tudo sobre: Mércia nakashimamizael bispoex-namoradoindiciado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG