Polícia faz retrato de assaltante que agiu em delegacia

Comerciante aguardava para fazer boletim de celular clonado. Segundo ela, policiais testemunharam o assalto

iG São Paulo |

Divulgação
A descrição do suspeito indica que ele teria aproximadamente 1,85m, 25 anos, pele branca, cabelos e olhos castanhos, e de porte físico forte
A Polícia Civil fez nesta sexta-feira um retrato falado do assaltante que, na quinta-feira, roubou a bolsa de uma comerciante dentro do 1º Distrito Policial de Salto (SP) . A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado enviou um desenhista da capital paulista à cidade para fazer o esboço, com base nas informações da própria vítima. 

O delegado seccional de Sorocaba, André Moron, disse que a prisão do principal acusado do roubo era uma questão de tempo. "É uma questão de honra prender o ladrão, até para esclarecer as circunstâncias do crime."

A mulher foi atacada quando conversava com uma atendente no interior da delegacia. O ladrão fugiu com a bolsa que continha R$ 13,5 mil e deixou a mulher ferida no braço. Os três policiais que estavam no prédio ficaram sem ação. 

Segundo a comerciante, após sacar R$ 13,5 mil, resolveu passar na delegacia, localizada no Jardim das Nações, para registrar em boletim de ocorrência a clonagem do aparelho. Sem saber que havia sido seguida, ela foi abordada por dois homens enquanto esperava para ser atendida já dentro da delegacia.

Luta corporal

Segundo ela, tudo foi testemunhado por dois policiais que estavam do outro lado do balcão, para onde ela, durante luta corporal com um dos bandidos, ainda jogou a bolsa na tentativa de evitar o roubo. Um dos assaltantes não teve dúvida: pulou o balcão, pegou a bolsa e, na volta, foi retido pela comerciante, que novamente entrou em luta corporal com o ladrão.

No momento em que ouviu do criminoso uma ordem para que o comparsa atirasse nela, a comerciante desistiu e deixou que a dupla fugisse com a bolsa, que foi encontrada depois abandonada no meio da rua, sem o dinheiro.

Com um dos braços feridos, a mulher, indignada com a total omissão dos dois policiais, contou que ainda ouviu deles que nada foi feito porque eles pensaram que fosse uma briga de casal.

Procurado pela reportagem do iG, o delegado responsável pelo 1º DP de Salto não foi encontrado na delegacia para esclarecer o caso.

* Com informações de AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG