Fábio Simão de Oliveira, coordenador da Telefonica, saiu de casa dia 22 de janeiro. Ele foi morto pelo sócio, dono de um lava-rápido

Um dos acusados de matar Fábio Oliveira indicou o local onde corpo estava enterrado
AE
Um dos acusados de matar Fábio Oliveira indicou o local onde corpo estava enterrado
A polícia de São Caetano encontrou nesta tarde o corpo de Fábio Simão de Oliveira, 44 anos, um coordenador da empresa Telefonica, no Parque do Pedroso, em Santo André, no ABC paulista. O homem estava desaparecido desde o dia 22 de janeiro, quando saiu de casa, em São Caetano, e disse à família que iria até um lava-rápido em Santo André.

Oliveira foi assassinado com golpes de enxada, depois de ter sido obrigado a assinar cheques. Um dos assassinos, Eliseu Francisco de Araújo, 25 anos, foi preso semana passada e revelou onde estava enterrado o corpo. Outro assassino, Claudinei José do Rosário, 34 anos, conhecido como “pastor”, é dono do lava-rápido e está foragido. Ele também é procurado no Ceará, onde matou duas pessoas. Oliveira estaria começando uma sociedade com ele.

Alguns dias depois do desaparecimento de Oliveira, a irmã dele foi ao banco perguntar se não havia alguma movimentação em sua conta corrente e a gerente informou que três cheques tinham sido devolvidos porque a assinatura não estava de acordo coma de Oliveira. Além disso, foi informado que o cartão de débito havia sido usado.

Na semana seguinte, a polícia encontrou o carro de Oliveira em um posto de combustível. Testemunhas informaram que o carro tinha sido deixado no local dois dias depois do desaparecimento de Oliveira e que não era ele quem dirigia.

Uma testemunha protegida afirmou à polícia que teria ouvido Claudinei dizendo que havia matado Oliveira e enterrado o corpo. A mesma versão foi dita por Eliseu, segundo oura testemunha.

Na semana passada, a polícia prendeu Eliseu em Jaguariúna, que confessou o crime e se disse arrependido. A polícia acredita que o crime teve motivação financeira, já que Oliveira foi sequestrado pelo sócio e teve cheques e cartões roubados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.