Polícia divulga imagens do acidente que matou grávida em SP

Pelas câmeras é possível ver o carro dirigido pelo marido de Lilian Santos atravessando o cruzamento no semáforo vermelho

Fernanda Simas, iG São Paulo |

As imagens do acidente em que a comerciante Lilian Maria dos Santos, grávida de sete meses, morreu foram cedidas à polícia pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e mudaram o rumo do inquérito policial. Landerson Correa Rodrigues, de 37 anos, marido da comerciante, foi indiciado por duplo homicídio culposo (sem intenção) depois de aparecer no vídeo ultrapassando o semáforo vermelho no Fiat Idea prata, na conversão entre a Avenida Bosque da Saúde e a Avenida Professor Abraão de Morais. Apenas cinco segundos após o acidente é que o semáforo fica verde.

A situação do motorista do outro carro, um Peugeot preto, Carlos Alberto Fiore, não muda com o indiciamento de Landerson. Ele havia sido preso em flagrante por dirigir embriagado e foi indiciado por duplo homicídio doloso. “Aqui na polícia nada vai ser mudado. O Fiore confessou que havia bebido umas cinco ou seis latas de cerveja e consumido cocaína seis horas antes do acidente”, afirmou o delegado do 16° Distrito Policial (Vila Clementino) responsável pela investigação, Airton Sante Amore.

Fiore já responde por embriaguez: Motorista envolvido no acidente já respondia a inquérito

Oslaim Brito/Futura Press
Fiore faz exame de corpo de delito no IML antes de ir para Centro de Detenção Provisória
Depois de pagar uma fiança de R$ 20 mil, Fiore deixou o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros na tarde desta sexta-feira. Segundo o delegado, se no momento do acidente, tivesse sido comprovado que Landerson passou no semáforo vermelho, Fiore poderia não ser indiciado por homicídio doloso. “Para mim, existe culpa concorrente. Os dois colaboraram para o acidente, mas se soubéssemos no momento do acidente, Fiore poderia ser indiciado por homicídio culposo.”

Falhas na investigação

O delegado Airton Amore considera que houve falha na captação de provas já que não foi feito um exame toxicológico de Landerson Rodrigues após o acidente. “Não foi feito o teste de dosagem alcoólica porque no momento do flagrante tudo indicou que era a mulher que estava dirigindo, até pela posição em que ela ficou no carro. Ficou uma falha de prova. Estamos oficiando todos os órgãos envolvidos no momento do acidente para saber se algum depoimento aponta que ele podia estar embriagado”. Segundo Amore, Landerson afirmou durante o depoimento que não teria bebido.

Para o delegado, o caso está esclarecido e Landerson teria agido com imprudência, ao cruzar a avenida com o semáforo vermelho, e com possível negligência caso a sua mulher e as crianças que estavam no carro não estivessem usando o cinto de segurança. “Já elucidamos o crime. O Landerson atravessou o farol vermelho, colocando em risco a vida dele, da mulher e até de outros motoristas.”

AE
Landerson passou no semáforo vermelho no cruzamento onde ocorreu o acidente


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG