Polícia de SP tem 1º cão farejador de celular

Segundo informações da polícia, o cachorro é o segundo no mundo especializado em farejar celular em presídios

iG São Paulo |

O canil da Polícia Militar de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, apresentou nesta terça-feira o primeiro cão farejador de celulares do Brasil. Fuzil, como o cachorro foi batizado, é da raça Pastor Belga Malinois e irá ajudar a polícia na Penitenciária Masculina de Ribeirão Preto.

Segundo informações da polícia, além de Fuzil, existe somente mais um cachorro no mundo especializado em encontrar aparelhos celulares em presídios. "Nesse tipo de trabalho, ele é o único do País e o segundo do mundo", afirmou o seu adestrador, o agente penitenciário Cristiano Alex Sampaio. Segundo ele, um cão - ele não soube informar raça e nem o local - estaria em atividade nos Estados Unidos, já com sucesso nesse tipo de operação. "Tentaram usar cães na Inglaterra, mas não deu certo", disse Sampaio.

Fuzil, que tem um anos e oito meses de vida, foi treinado pela Polícia Militar de Ribeirão durante sete meses. Aparelhos e baterias, carregadas ou descarregadas, são farejados pelo cão, adestrado para localizar odores de produtos que contêm silício, material usado nesses equipamentos. Nesta manhã, durante treinamento, ele localizou três celulares escondidos dentro do banheiro de celas da prisão.

"O cão é dócil e maleável, e fareja até no meio das pessoas",diretor da Penitenciária Masculina de Ribeirão Preto, Paulo Cesar de Barros. Isso significa que o cão pode farejar entre os presos, mas não os detentos diretamente, já que tal medida é proibida. Em caso de suspeita, os presos devem ser revistados por agentes penitenciários.

iG São Paulo
Fuzil, o primeiro cão farejador de celular em presídios do Brasil

O animal,na verdade, pertence à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que poderá deslocá-lo para outras unidades prisionais, mas neste momento ele é o mais novo "funcionário" da Penitenciária Masculina de Ribeirão Preto. Ali, nos últimos dois meses, durante o seu adestramento, ele localizou 13 celulares na ala externa de progressão (regime semiaberto). "Ele é mais uma ferramenta no nosso serviço diário", afirmou Barros.

Raça

No Estado de São Paulo, existem outros cães, de outras raças, ainda em treinamento para esse fim. Mas foi o Pastor Belga de Malinois quem deu a melhor resposta até agora. O treinamento de Fuzil, nascido em Goiânia, filho de mãe canadense e pai belga, terminou há uma semana. O animal vive entre 12 e 14 anos e sua "vida profissional" deverá ser de seis anos.

Segundo informações da Secretaria de Administração Penitenciária, no balanço mais recente, feito em 2008, a polícia apreendeu 7.723 celulares em penitenciárias - o equivalente a seis celulares, por unidade prisional, por mês.

    Leia tudo sobre: cão farejadorcelularpresídioSão Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG