Polícia cria unidade com 160 agentes para combate a crimes nas marginais

Companhia atua a partir desta quinta-feira nas marginais Pinheiros e Tietê com 10 viaturas, 48 motos e helicóptero Águia

Carolina Garcia, iG São Paulo |

Após registro de uma série de arrastões e assaltos nas Marginais Pinheiros e Tietê, a Polícia Militar de São Paulo inaugurou nesta quinta-feira a 3º Companhia do 2º Batalhão de Policiamento de Trânsito (BTran). A cerimônia de apresentação da nova unidade ocorreu no Parque Villa Lobos, na zona sul, às 10h, e contou com a presença do governador do Estado, Geraldo Alckmin.

AE
Agentes da 3º Companhia; policiais atuam a partir desta quinta-feira nos 43 km das Marginais

Ao todo, a nova unidade conta com 160 agentes distribuídos em 10 viaturas e 48 motos - que vão patrulhar os 43 km que envolvem as duas Marginais. Após estudo da PM, foi concluído que o patrulhamento com motocicletas seria mais eficiente, garantindo agilidade e fluidez nas vias. Além disso, a nova companhia é apoiada pelo helicóptero Águia, quatro guinchos e estará presente em 54 pontos fixos de monitoramento.

Contando com a ajuda da população, a polícia criou canais nas redes sociais, como Twitter e Facebook. Nestas plataformas, o motorista poderá encontrar informações das Marginais e das ocorrências registradas. "A medida é considerada uma patrulha comunitária e a população terá papel fundamental, já que esse [tipo de assalto] é um crime de oportunidades", explica o coronel da Polícia Militar Alvaro Camilo.

Segundo Camilo, não há um balanço sobre as ocorrências de arrastões ou assaltos nas vias nos últimos meses "devido a abrangência do monitoramento". Antes o patrulhamento nas vias era realizado por 12 batalhões da PM, agora com a criação da unidade, "as ocorrências serão contabilizadas". Agora, a unidade está a frente do patrulhamento, mas não deixará de contrar com a ajuda dos outros batalhões - somando 280 PMs nas vias.

Ataques com pedras

Na manhã do dia 6, dois motoristas que passavam pela Marginal Pinheiros sentido Interlagos, altura da Ponte do Jaguaré, foram assaltados depois de uma armadilha feita pelos criminosos. Pedras foram jogadas no asfalto e quando os carros passaram pelo local ficaram danificados, obrigando os condutores a parar.

Já na última sexta-feira (15), na mesma região, a jornalista Joanna de Assis, de 29 anos, escapou de ser assaltada, no início da madrugada. A vítima continuou dirigindo após seu veículo passar por cima das pedras deixadas sobre a faixa de rolamento.

Os casos registrados até então mobilizaram uma ação da Polícia que, inicialmente com os 12 Batalhões, definiu trechos onde seriam colocadas as viaturas. Em quatro pontos da Marginal Pinheiros os carros ficariam posicionados por 24 horas. Já em outros 13 trechos, os policiais permaneceriam por 12 horas.

Na Tietê, a rotatividade dos policiais é maior. Ao longo do dia, eles se revezarão em 37 pontos. Cada viatura fica em um deles por até 12 horas. Ao todo, juntamente com 3º Companhia, são 280 policias presentes em pontos estratégicos das vias.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG