Polícia apreende arsenal avaliado em mais de R$ 1 milhão em São Paulo

Entre as armas apreendidas estão fuzis, metralhadoras e centenas de munições de uso restrito capazes de derrubar até aeronaves

iG São Paulo |

A Polícia Civil de São Paulo apreendeu nesta quarta-feira, em um condomínio em Araçatuba, no interior do Estado, um arsenal avaliado em mais de R$ 1 milhão por peritos do Instituto de Criminalística (IC). Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram apreendidas dezenas de fuzis, metralhadoras, espingardas, pistolas e revólveres de várias marcas e calibres, além de silenciadores, lunetas, algemas, coletes balísticos, centenas de munições, de uso restrito e irrestrito capazes até de derrubar aeronaves, e milhares de acessórios para recarga de munições, manutenção e montagem de armas.

Rocinha: Polí­cia apreende arsenal em ocupação no Rio de Janeiro
São Paulo: Polícia apreende fuzis em casa na Grande São Paulo

Divulgação/SSP
Armas apreendidas em condomínio no interior de São Paulo
Segundo a polícia, o dono da casa, que tem credencial de colecionador do Exército, está foragido – sua mulher estava na residência, e foi presa em flagrante. Apesar da credencial de colecionador, as armas apresentavam várias irregularidades. “A mais grave era a posse de pinos para adulterar a numeração das armas”, disse o delegado Carlos Henrique Cotait, coordenador do Centro de Inteligência Policial da Seccional de Araçatuba.

A suspeita do delegado é que o homem, que foi indiciado e terá sua prisão preventiva solicitada, “traficava armas do exterior, inseria uma numeração e depois comprava um documento para legalizá-la e revendê-la”. Foi uma denúncia anônima que levou os investigadores até a residência.

Armas e acessórios

De acordo com a SSP, o local funcionava como um depósito de armas, com dezenas de fuzis, metralhadoras, espingardas, rifles, pistolas, revólveres, lunetas de longo alcance, silenciadores, algemas, coletes balísticos, centenas de caixas de munições, de uso restrito e irrestrito, e milhares de peças e acessórios para montagem, limpeza, recarga de cartuchos e equipamentos para modificar e adulterar armas. Havia três silenciadores, um deles acoplado a uma metralhadora calibre 22, e 14 lunetas de longo alcance – não permitidos pela credencial fornecida pelo Exército.

Na laje do telhado os policiais encontraram uma caixa de cartuchos calibre .50, que derruba até aeronaves, o que também é proibido. Além disso, todas as armas estavam montadas e muitas municiadas, o que é proibido para colecionadores. Também não é permitido que mantenham munição real, principalmente nos calibres restritos, como .45, .40, 357, 9 mm e 223 – este último, para fuzil.

“Nem todas as armas estavam regularizadas e outras foram modificadas, como uma metralhadora calibre 45 que ele tinha adaptado um silenciador”, continuou o delegado. Entre as armas havia três fuzis – com mira telescópica e silenciador –, quatro metralhadores – duas com silenciador –, dezenas de espingardas, escopetas, revólveres e pistolas, de marcas nacionais e estrangeiras.

    Leia tudo sobre: armasarsenalAraçatuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG