Pintor alega "cinco minutos de loucura" para assassinatos, diz polícia

Irmãs de 16 e 21 anos foram encontradas mortas em casa pelo pai. Suspeito que teria confessado o crime trabalha com a família há 15 anos

AE |

selo

O pintor Antonio Carlos Rodrigues da Silva Júnior, de 30 anos, que teria confessado o assassinato de duas irmãs, de 16 e 21 anos, em Mogi das Cruzes , na região metropolitana de São Paulo, teve a prisão temporária decretada neste domingo.

Entenda o caso: Irmãs são encontradas mortas em Mogi das Cruzes

De acordo com policiais que investigam o caso, Silva Júnior alegou ter cometido o duplo homicídio durante "cinco minutos de loucura".

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ele responderá por homicídio qualificado e estupro. A investigação está sob segredo de Justiça, e não há previsão de transferência para o pintor. 

O pintor era empregado da família havia 15 anos e não apontou o motivo que o teria levado a matar a estagiária Renata de Cássia Yoshifusa, de 21 anos, e a estudante Roberta Yuri Yoshifusa, de 16. Elas foram mortas na noite da última sexta-feira, dentro da casa onde moravam.

Os corpos das irmãs foram encontrados pelo pai delas, dentro da cozinha. As duas jovens foram enterradas no Cemitério Parque das Oliveiras, também em Mogi.

    Leia tudo sobre: mogi das cruzesirmãsassassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG