PF prende 36 em operação contra o tráfico internacional de drogas

Segundo a corporação, Operação Semilla prendeu dois chefes do tráfico internacional

iG São Paulo |

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quinta-feira no Estado de São Paulo, durante a execução da Operação Semilla, dois chefes do tráfico internacional de drogas. De acordo com a PF - que não divulgou os nomes dos traficantes - eles são brasileiros e têm empresas legais no País, como padarias e lojas de carros, usadas para lavar o dinheiro obtido com a venda das drogas.

Leia também:  PF apreende três aviões em outra ação contra o tráfico

Divulgação
Dinheiro apreendido nesta quinta-feira durante a operação
“Os dois traficantes brasileiros coordenavam toda a quadrilha. Eles importavam a droga, principalmente cocaína da Bolívia, trazia para a região de São Paulo para, daqui, distribuir no mercado interno ou enviar para a África ou para a Europa”, disse o delegado coordenador da operação, Ivo Roberto Costa da Silva.

Contando com os chefes do esquema, foram presas 36 pessoas, uma delas estrangeira. Só no Estado de São Paulo, foram 19. No total, foram expedidos 54 mandados de prisão temporária. Sete acusados ainda são procuradas no Brasil e 11 mandados estão sendo cumpridos no exterior, por meio da Polícia Internacional (Interpol). A PF apreendeu ainda R$ 80 mil, cerca de 40 carros, sendo 10 de luxo, incluindo um Porsche, e sete armas..

Divulgação
Avião apreendido durante as investigações
Todos os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Participam da operação 230 policiais federais, 150 deles lotados na PF em São Paulo. Os presos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e financiamento da prática do crime de tráfico transnacional.

A investigação que deu origem a operação de hoje, chamada de Operação Semilla, começou há um ano e, além dos 54 mandados de prisão que estão sendo cumpridos, já foram presas 70 pessoas em flagrante por tráfico de drogas, sendo uma delas suspeita de integrar a máfia calabresa, na Itália. Nesse período, foram apreendidos cerca de 4.327 quilos de cocaína, 5.210 quilos de maconha, mais de um R$ 1 milhão - em moeda nacional e estrangeira, armas, munições, cerca de 48 veículos e 1 aeronave. Um laboratório de refino de cocaína foi desativado em Barueri, na Grande São Paulo.

* Com Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG