Agentes da Polícia Federal prenderam 36 pessoas na Operação Crédito Fácil. Ainda foi apreendidos máquinas para clonar cartões

A Polícia Federal (PF) em São Paulo prendeu nesta quarta-feira 36 pessoas suspeitas de participar uma quadrilha que desviava cartões de crédito de dois centros de triagem dos Correios e os utilizava após desbloqueio fraudulento.

Material apreendido na operação chega à Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo
AE
Material apreendido na operação chega à Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo
Segundo a PF, 250 policiais federais cumpriram 58 mandados de busca e apreensão, por meio dos quais foram arrecadados cartões de crédito, mídias, mercadorias adquiridas pelo grupo (TVs e equipamentos de informática) e equipamentos (máquinas para clonar cartões, placas de computadores para obter dados e impressoras para impressão desses cartões). Em espécie, ainda foram apreendidos cerca de R$ 30 mil em moeda nacional e dólares. Contas bancárias e veículos dos investigados sofreram bloqueio judicial, dentre eles um veículo de luxo importado.

De acordo com a corporação, a quadrilha também é suspeita de realizar a clonagem de cartões de crédito e de débito e de atuar na falsificação de cheques. Os investigados realizariam compras, transferências bancárias e pagamentos de boletos bancários com os cartões furtados dos Correios e com outros cartões clonados.

Os 42 mandados de prisão preventiva da operação resultaram em 36 presos: 1 em Limeira, 1 em Itapetininga e o restante na Grande São Paulo. Entre os presos, 4 são funcionários e 1 ex-funcionário dos Correios.

Estima-se que o prejuízo causado por esta quadrilha, somente com o desvio de cartões da Caixa Econômica Federal, de janeiro de 2010 até outubro de 2011, supere a cifra de R$ 4 milhões. Esse valor pode triplicar, caso sejam computadas as fraudes realizadas com cartões de outros bancos. A Justiça Federal decretou o bloqueio de ativos financeiros e veículos dos envolvidos.

A PF informou que os investigados podem responder pelos crimes de furto qualificado, estelionato, receptação, formação de quadrilha, uso de documento falso e lavagem de dinheiro, com penas que variam de 01 a 12 anos de prisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.