PF faz operação contra fraude com cartões de crédito em São Paulo

Agentes da Polícia Federal prenderam 36 pessoas na Operação Crédito Fácil. Ainda foi apreendidos máquinas para clonar cartões

iG São Paulo |

A Polícia Federal (PF) em São Paulo prendeu nesta quarta-feira 36 pessoas suspeitas de participar uma quadrilha que desviava cartões de crédito de dois centros de triagem dos Correios e os utilizava após desbloqueio fraudulento.

AE
Material apreendido na operação chega à Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo
Segundo a PF, 250 policiais federais cumpriram 58 mandados de busca e apreensão, por meio dos quais foram arrecadados cartões de crédito, mídias, mercadorias adquiridas pelo grupo (TVs e equipamentos de informática) e equipamentos (máquinas para clonar cartões, placas de computadores para obter dados e impressoras para impressão desses cartões). Em espécie, ainda foram apreendidos cerca de R$ 30 mil em moeda nacional e dólares. Contas bancárias e veículos dos investigados sofreram bloqueio judicial, dentre eles um veículo de luxo importado.

De acordo com a corporação, a quadrilha também é suspeita de realizar a clonagem de cartões de crédito e de débito e de atuar na falsificação de cheques. Os investigados realizariam compras, transferências bancárias e pagamentos de boletos bancários com os cartões furtados dos Correios e com outros cartões clonados.

Os 42 mandados de prisão preventiva da operação resultaram em 36 presos: 1 em Limeira, 1 em Itapetininga e o restante na Grande São Paulo. Entre os presos, 4 são funcionários e 1 ex-funcionário dos Correios.

Estima-se que o prejuízo causado por esta quadrilha, somente com o desvio de cartões da Caixa Econômica Federal, de janeiro de 2010 até outubro de 2011, supere a cifra de R$ 4 milhões. Esse valor pode triplicar, caso sejam computadas as fraudes realizadas com cartões de outros bancos. A Justiça Federal decretou o bloqueio de ativos financeiros e veículos dos envolvidos.

A PF informou que os investigados podem responder pelos crimes de furto qualificado, estelionato, receptação, formação de quadrilha, uso de documento falso e lavagem de dinheiro, com penas que variam de 01 a 12 anos de prisão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG