Perueiros da capital suspendem greve

Categoria pleiteia reajuste de 12% no valor repassado pela SPTrans e deve decidir sobre paralisação na próxima segunda-feira

Agência Estado |

Os perueiros da capital paulista resolveram suspender a greve geral marcada para a zero hora desta quarta-feira. Os motoristas de micro-ônibus apresentaram uma planilha de custos à Secretaria Municipal de Transportes e marcaram outra reunião para decidir sobre a paralisação na próxima segunda-feira.

A categoria pleiteia reajuste de 12% no valor repassado pela São Paulo Transporte (SPTrans) para custeio do sistema. A secretaria havia oferecido um aumento de 2%, o que fez com que os perueiros anunciassem a greve. Atualmente, segundo a categoria, os micro-ônibus recebem cerca de R$ 1,20 cada vez que o bilhete único é usado nas lotações. Esses veículos correspondem a cerca de 40% da frota de transporte municipal.

Cerca de 6 mil profissionais trabalham como motoristas de micro-ônibus da cidade de São Paulo. Se confirmada, a greve deve afetar os cerca de 3,5 milhões de passageiros que usam o sistema de transporte por micro-ônibus. O cálculo é do vereador Senival Moura (PT), presidente do Sindlotação.
A entidade representa as cooperativas que trabalham como permissionárias da Prefeitura - as vans particulares devem trabalhar normalmente.

Judiciário

Outra categoria a anunciar paralisação das atividades foi a dos servidores do Judiciário de São Paulo, que entrarão em greve por tempo indeterminado a partir de amanhã. De acordo com o presidente do Sindicato União dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de São Paulo, Wagner José de Souza, a categoria tem 42 mil funcionários na ativa e 9 mil aposentados.

A meta é que a paralisação atinja ao menos 15 mil servidores, ou 35% dos empregados ativos. Eles reivindicam 20,16% de reposição de perdas salariais, melhores condições de trabalho e contratação de funcionários. A última greve por tempo indeterminado dos servidores da Justiça do Estado ocorreu em 2004, quando cruzaram os braços por 91 dias.

    Leia tudo sobre: grevelotação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG