Passageiro acenou para maquinista reduzir velocidade, diz delegado

Causas do acidente serão reveladas em 30 dias. Vítimas serão intimadas na próxima semana para prestar depoimentos

iG São Paulo |

"O grande herói dessa história é o Cláudio". É o que afirma o delegado Roberto Von Haydin, plantonista do 2º Distrito Policial de Santo André, sobre Cláudio Almeida dos Santos, de 30 anos - um dos passageiros do ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) que caiu de um viaduto sobre uma linha férrea na quinta-feira (9). O acidente deixou 15 pessoas feridas, seis seguem internadas .

Haydin conta que, durante breve relato, Cláudio compartilhou como reagiu após a queda do ônibus sobre a linha 10-Tuquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Como outros passageiros já relataram ao iG , Santos ouviu várias pessoas gritando sobre a aproximação do trem.

Para evitar uma forte colisão, "Santos não hesitou, deixou o veículo e saiu aos berros e acenando em direção ao trem". O maquinista, Ednalvo Delmiro da Silva, de 40 anos, conduzia o trem da linha 10-Turquesa. "Até o próprio Ednalvo reconheceu que ele não foi autor de nenhum milagre. Ele só reagiu a pronta atitude de Cláudio. Caso contrário, não sei se o trem pararia a tempo", explica Haydin.

O acidente aconteceu no bairro Prosperidade, entre as estações Utinga e São Caetano. A Polícia Civil investiga o caso. Segundo o delegado,  os depoimentos das 18 vítimas, passageiros do ônibus e do trem, a motorista Lilian Souza Freitas de 30 anos e o maquinista Edivaldo Belmiro da Silva, ainda serão agendados. O laudo pericial deve ficar pronto em até 30 dias.

    Leia tudo sobre: acidentetremônibusabc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG