Parque do Ibirapuera troca luzes para ser modelo em São Paulo

Parque frequentado por 21 mil pessoas semanalmente ganha nova iluminação com tecnologia LED, mais eficiente e durável

Fernanda Simas, iG São Paulo |

Quem passeia pelo Parque do Ibirapuera durante a semana tem encontrado o cenário um pouco diferente nos últimos dias. Além do som dos pássaros, das manobras de skatistas e das buzinas de bicicletas, é possível ouvir também algumas marteladas e o barulho de caminhões. Mas esse aparente “convívio” deve acabar até o fim do mês e acontece por um motivo: nova iluminação, que será apresentada como medida da cidade de São Paulo para a melhoria do meio ambiente na reunião do C40 de grandes cidades, que ocorre a partir de 31 de maio.

Fernanda Simas, iG São Paulo
Funcionários instalam novos postes de luz LED nas ruas do parque
Uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e a AES Eletropaulo investiu R$ 4,6 milhões em iluminação e está trocando as luzes do parque, que recebe 21 mil pessoas por semana. São 849 novos postes, cada um com 64 pequenas lâmpadas de LED, a serem colocados nas ruas internas do parque, onde há intenso movimento. O sistema funciona através de fotocélulas, ou seja, quando começa a escurecer as lâmpadas se acendem. Até essa semana, cerca de 600 postes foram instalados e alguns já estão acendendo, segundo Márcio Visini Carlos, responsável pela gestão do projeto.

O objetivo é reduzir o consumo de energia no parque que por funcionar das 5h às 24h necessita de iluminação artificial pelo menos seis horas por dia. Esse novo sistema proporciona uma diminuição de 20% em relação ao que era gasto, já que a tecnologia LED é mais eficiente e durável. Sua vida útil é de 50 mil horas, enquanto as antigas luzes incandescentes duravam aproximadamente 12 mil horas.

Segundo o coordenador de usos finais da AES Eletropaulo, Fernando Bacellar, com a durabilidade maior, a manutenção a ser feita – como troca de lâmpadas queimadas – é menor. “Outra vantagem também é a questão da altura dos postes. Ele está abaixo do limite das árvores, então diminui muito a necessidade de poda de árvore, afeta muito menos a estética do parque”, explica Fernando, considerando que os postes antigos tinham cerca de oito metros. De acordo com a Prefeitura, essas reduções em gasto de energia, material e manutenção causam uma economia aos cofres da cidade e o dinheiro pode ser investido em outros programas municipais.

Realce de cores

Em dias de casamento, não é raro ver as noivas fazendo sessões de fotografia com o Parque do Ibirapuera de fundo. Com a nova iluminação, o fundo das fotos não terá mais um tom amarelado proporcionado pelas lâmpadas antigas. As lâmpadas LED emitem luz branca e, com isso “a reprodução de cores é muito melhor, você enxerga o verde como ele é, o branco, o marrom, e não uma cor uniforme amarela”, detalha Bacellar.

Estacionamentos

Além da substituição de luzes nas ruas internas do parque, os estacionamentos e as áreas de jardim também receberão novas lâmpadas. Os antigos postes permanecerão nos locais e apenas as lâmpadas serão trocadas por outras de vapor metálico (tecnologia mais barata e com menos durabilidade do que o LED).

C40

A nova iluminação do Parque do Ibirapuera será apresentada como forma de melhorar o meio ambiente na reunião do C40 de Grandes Cidades que ocorre entre os dias 31 de maio e 03 de junho, na cidade paulistana. O evento é realizado de dois em dois anos, reúne as maiores cidades do mundo e discute medidas para combate à mudança climática e melhores práticas sustentáveis.

No site do C40 é possível encontrar uma lista de iniciativas que deram certo ao redor do mundo e no quesito redução de energia o LED funcionou. Desde 2004, a luz de LED é usada nos semáforos de Chicago, que reduziu o gasto de energia em 85%. Com isso, a cidade economiza US$2,55 milhões por ano em energia e ainda proporcionou melhor visibilidade ao motorista em dias de chuva, já que as luzes são mais brilhantes do que as antigas incandescentes.

Outros pontos da cidade

Além do Parque do Ibirapuera, A Prefeitura está trocando a iluminação em outras regiões da cidade. O túnel Ayrton Senna, que liga a Avenida 23 de Maio à Avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade, e a Rua do Arouche, no centro da cidade, também receberam lâmpadas de LED.

A tecnologia de lâmpadas de vapor metálico, implantada nos estacionamentos e jardins do Parque também foi usada na nova iluminação da Avenida Paulista. Nessa região foi constatada uma economia de 60% na energia.


    Leia tudo sobre: parque do IbirapuerailuminaçãoLEDEletropaulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG